Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 23 de Novembro de 2020

Sidrolandia

Bactéria de pneumonia aguda pode ter matado gado em Coxim

Segundo a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), variações de temperatura podem provocar o desenvolvimento da bactéria da pneumonia

Iagro

30 de Julho de 2014 - 08:19

Os bovinos que morreram na última sexta-feira (25) na região de Coxim, podem ter sido vítimas de pneumonia aguda. Segundo a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), variações de temperatura podem provocar o desenvolvimento da bactéria da pneumonia.

No dia das mortes, na região das propriedades os termômetros registraram 13°C. Segundo o médico veterinário da Iagro, Rubens Castro Rondon, esta bactéria pode se desenvolver quando a temperatura da madrugada fica cerca de 15°C abaixo da temperatura registrada durante o dia.

"Durante a noite a madrugada tem uma queda brusca da temperatura, e essa queda pode dar uma variação de 15 a 17°C inferiores a temperatura do dia. Isso, segundo relatos da literatura, pode ocasionar no organismo do animal o desenvolvimento de uma bactéria que provoca uma pneumonia agudíssima nos animais e leva, em muitos casos, à morte", ressaltou Rondon.

As mortes só foram comunicadas à Iagro na última segunda-feira, por quatro produtores rurais que procuraram a agência sanitária.

Os animais mortos foram colocados em valas abertas no meio da pastagem de três fazendas de Coxim.

Por causa da demora na notificação, nenhum material pode ser coletado dos animais para a realização de exames que pudessem indicar a causa das mortes. Segundo a Iagro, ainda não é possível estimar o tamanho do prejuízo, porque a contagem dos animais ainda não terminou.

"É bem provável que isso possa ter atingido mais de mil animais, porque são propriedades muito extensas e muito grandes e as mortes podem ter ocorrido espalhadas pela propriedade", explicou.

O médico veterinário explicou também que, como o gado morreu possivelmente por conta da pneumonia aguda, é contra-indicado o consumo dessa carne. Por isso, os bovinos tiveram que ser enterrados em valas nas propriedades. Além disso, qualquer produto de origem animal só pode ser liberado para o consumo depois de passar por uma inspeção sanitária.