Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 18 de Maio de 2021

Sidrolandia

Black Friday ajuda na primeira alta de vendas no semestre, diz Serasa Experian

Houve alta de 11% na movimentação dos consumidores no final de semana da Black Friday deste ano (25 a 27 de novembro).

G1

06 de Dezembro de 2016 - 09:27

Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio aponta alta de 1,2% no movimento dos consumidores nas lojas durante o mês de novembro na comparação com outubro, já descontados os efeitos sazonais. Trata-se da primeira alta mensal do comércio varejista em todo o segundo semestre deste ano. De acordo com os economistas da Serasa Experian, a Black Friday impulsionou o comércio varejista em novembro. 

Houve alta de 11% na movimentação dos consumidores no final de semana da Black Friday deste ano (25 a 27 de novembro) em relação ao final de semana da Black Friday do ano passado.

Contudo, as dificuldades enfrentadas pelos consumidores, como juros altos nos crediários, desemprego em alta e confiança ainda em patamar deprimido, ainda mantiveram a atividade varejista, ao longo do mês, em patamar inferior ao observado no ano passado.

Na comparação com novembro de 2015, houve retração de 2,2% na movimentação dos consumidores nas lojas (a menor queda nesse critério de comparação desde setembro de 2015). No acumulado do ano até novembro, o comércio varejista teve queda de 7% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Por categorias

No mês de novembro, as categorias que registraram avanços mensais foram: móveis, eletroeletrônicos e informática (+0,6%) e tecidos, vestuário, calçados e acessórios (+1,0%). No campo negativo destacam-se os seguintes segmentos: combustíveis e lubrificantes (-0,4%), veículos, motos e peças (-0,8%) e material de construção (-1,6%). Já o segmento de supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas ficou estável durante o mês de novembro.

No acumulado do ano até novembro, a maior retração do consumidor no período deu-se no segmento de veículos, motos e peças, com queda de 13,3% frente ao mesmo período do ano passado. A segunda maior queda foi de 12,9%, nas lojas de tecidos, vestuário, calçados e acessórios. Houve recuo também significativo, de 11,5%, nas lojas de móveis, eletroeletrônicos e equipamentos de informática. Retrações menores ocorreram nas lojas de material de construção (-5,3%) e nos supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas (-7,1%). Somente o segmento de combustíveis e lubrificantes se mantém no terreno positivo, com alta de 2,2% em relação período acumulado de janeiro a novembro do ano passado.