Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 23 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Bloqueadores de celular na Máxima estão em fase de teste, fala Jacini

Comerciantes reclamam que não conseguiram utilizar as máquinas de cartões, pois precisam da rede de telefone, eles não conseguem fazer ligações.

Midiamax

25 de Março de 2014 - 13:43

Os bloqueadores instalados no entorno do EPSM (Estabelecimento Penal de Segurança Máxima) estão “incomodando” os vizinhos no bairro Noroeste – região leste de Campo Grande. Comerciantes reclamam que não conseguiram utilizar as máquinas de cartões, pois precisam da rede de telefone, eles não conseguem fazer ligações.

“Estamos em fase de teste, lógico que isso vai gerar dor de cabeça no início, mas depois tudo se normaliza. A intenção posteriormente é que o bloqueio ocorra apenas dentro do presídio”, conta o secretário da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), Wantuir Jacini.

Sobre supostas ligações que os presos estariam fazendo de dentro da Máxima, o secretário afirma não ter conhecimento. “Não estou sabendo de nada, e quem estiver, que denuncie, pois não tenho conhecimento disso”, afirma.

COMPRA DE TORNOZELEIRAS

O secretário revelou que o Estado tem interesse em comprar as tornozeleiras, mas deve ser analisada a eficácia delas. “Assim como os bloqueadores de celulares, este equipamento, que também é tecnológico está em fase de teste. Além disso, há vários tipos de tornozeleira, algumas com alto som, outras com sinalizadores, e assim por diante. Temos que ver a eficácia de cada uma e qual seria mais eficaz para nós”, conclui o secretário.