Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 26 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Bloqueio de sem-terra provoca congestionamento e irrita motoristas

O protesto começou por volta das 7h. Em Campo Grande, o congestionamento está próximo dos 2 quilômetros

21 de Março de 2011 - 10:51

Bloqueio de sem-terra provoca congestionamento e irrita motoristas
Sem-terra impedem a passagem de ve - Divulga

O bloqueio de rodovias de Mato Grosso do Sul por sem-terra está provocando congestionamento e reclamações dos motoristas que estão presos por causa do protesto da Fetagri (Federação dos Trabalhadores na Agricultura) na BR-463, entre Dourados e Ponta Porã, na BR-267, entre Nova Alvorada do Sul e o Distrito de Casa Verde, e na BR-060, entre Campo Grande e Sidrolândia.

O protesto começou por volta das 7h. Em Campo Grande, o congestionamento está próximo dos 2 quilômetros. A notícia provocou a irritação do governador André Puccinelli (PMDB), que chegou a interromper uma reunião com empresários chilenos para determinar que a Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública) intervenha para desosbruir a pista.

Na rodovia em Campo Grande, pneus e uma barreira humana impedem que os veículos passem. Os policiais militares rodoviários estaduais que estão no local negociaram com os manifestantes e o tráfego está sendo liberado de quando em quando, mas depois volta ser fechado. Passam apenas 25 veículos por vez.

O comerciante Augusto Prado, de 63 anos, disse ser contrário ao movimento. “ Muitas pessoas querem trabalhar e não podem por causa de outras que não querem”.

Ele contou que seu comércio deveria estar aberto em Sidrolândia, mas não estava porque ficou preso no congestionamento.

No local estão policiais rodoviários militares, que fazem o controle do tráfego. Nos outros dois pontos é a Polícia Rodoviária Federal quem enviou equipes para negociar com os sem-terra.

A Fetagri afirma que o protesto é para que o Incra volte a funcionar em Mato Grosso do Sul. A entidade diz que o órgão está parado desde que surgiram denúncias de corrupção, investigadas pelo Ministério Público Federal. (Com informação Campo Grande News)