Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 15 de Maio de 2021

Sidrolandia

Cabeceira de ponte cai e alunos têm de passar por rio para ir à escola

Um fazendeiro da região que preferiu não ser identificado, relata que há dois anos tem propriedade no local e sempre que chove, a cabaceira desmorona

Campo Grande News

23 de Fevereiro de 2017 - 11:00

A cabeceira da ponte sobre o córrego Pirizal, em Camapuã, desmoronou em dezembro do ano passado. O local é a principal via de acesso de moradores de assentamento, trabalhadores rurais, alunos e fazendeiros à cidade.

Como não dá para atravessar pela ponte, o jeito encontrado por quem trafega constantemente por ali, foi fazer um desvio por dentro do córrego, mas quando chove, fica impossível atravessar o rio.

Um fazendeiro da região que preferiu não ser identificado, relata que há dois anos tem propriedade no local e sempre que chove, a cabaceira desmorona. "Isso acontece constantemente. Os fazendeiros não têm como comprar ou vender gado porque caminhão não passa no desvio feito, que é dentro da água. Só carro pequeno e caminhonete vazia", afirma.

Ainda segundo o ele, o maior risco são para os alunos que passam dentro do córrego em uma kombi. "Para que os alunos sejam levados até a escola que fica na área urbana, a kombi tem que passar dentro da água. E quando chove, fica impossível. Essa situação está prejudicando todo mundo", reclama.

O secretário de obras, Eduardo Azevedo, alega que o trabalho na cabeceira já está sendo feito e até o fim do Carnaval, a ponte estará liberada para tráfego. "Vamos trabalhar intensamente para arrumarmos a cabeceira e até a terça-feira (28) ela deve estar pronta", informa.

Questionado sobre a demora para arrumar a cabeceira, o secretário informou que a prefeitura estava sem maquinário. "Quando a nova gestão assumiu, o maquinário estava com grande deficiência e nem óleo diesel tinha. Agora temos condições e estamos trabalhando para concluir a obra o mais rápido possível", disse.