Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 27 de Novembro de 2021

Sidrolandia

Chuva de granizo assusta moradores de Sidrolândia

No Jandaia, a dona de casa Maria Arguelho, registrou imagens das pedras para mostrar a quantidade e o tamanho do gelo que caiu próximo às 14h.

Marcos Tomé/Região News

30 de Setembro de 2013 - 17:47

Foto: Marcos Tomé/Região News

Chuva de granizo assusta moradores de Sidrolândia

Foto tirada durante temporal do gramado da redação do Região News

A chuva de granizo que atingiu várias cidades de Mato Grosso do Sul chegou ao município de Sidrolândia no inicio da tarde desta segunda-feira (30/09) e assustou os moradores. A cidade de Paranhos, distante a 416 quilômetros de Sidrolândia foi a mais atingida com o temporal que destelhou casas e derrubou arvores.

No interior do município houve casos em que os prejuízos foram grandes, como é o caso do produtor rural José Júlio de Oliveira, proprietário da Chácara Santa Rita. Ele conta que perdeu quase toda a casa que teve parte da cobertura arrancada pelo vendaval. O que sobrou, foi danificado pelas pedras de gelo.

Chuva de granizo assusta moradores de SidrolândiaEm Paranhos, o temporal começou por volta das 2h da madrugada. Muitos animais foram mortos devido ao tamanho das pedras que caíram. “nunca tinha visto algo parecido antes, acabou com minha casa, com as plantas e matou muitos animais, destruiu as plantas em fim, foi muito assustador”, relatou José Xavier, mostrando o rastro de destruição.

Já em Sidrolândia a chuva de granizo foi bem mais calma. Apesar do susto de alguns moradores que presenciaram o “bombardeio” das pedras de gelo em sua grande maioria do tamanho de uma pedra brita, na maior parte da cidade, a intensidade da chuva não foi tamanha.

Os sidrolandenses até ensaiaram sessões de fotos para registrar o fenômeno. As pedras eram pequenas, mas os moradores ficaram com medo por causa do barulho. José dos Santos, morador do Bairro São Bento, relatou a reportagem do Região News que na região onde mora a chuva durou cerca de cinco minutos e que não prejudicou a residência dele nem a dos vizinhos.

No Jandaia, a dona de casa Maria Arguelho, registrou imagens das pedras para mostrar a quantidade e o tamanho do gelo que caiu próximo às 14h. “As pedras não eram tão grandes, mas deixaram a gente com medo. Não quis que minha filha fosse à aula de violão porque poderia ser perigoso", disse. Ela contou que, no bairro, a chuva foi rápida e durou cerca de três minutos, mas que não causou estragos.