Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 24 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Chuvas provocam danos e causa prejuízos em Glória de Dourados

Fátima News

16 de Dezembro de 2010 - 14:09

O município de Glória de Dourados foi assolado duramente com as últimas chuvas que caíram em Glória e na região. Muitos estragos foram feitos principalmente na zona rural, como buracos e crateras nas estradas vicinais, queda de pontes, afundamento de bueiros, desmoronamentos de cabeceiras de pontes, entre outros problemas e prejuízos ocasionados.

A secretaria municipal de Infraestrutura (Seinfra) vem tomando as providências cabíveis e procurando liberar os pontos mais críticos das estradas vicinais.

Mas não foram somente as estradas da zona rural que as chuvas provocaram inúmeros danos e prejuízos. Na área urbana, além de provocar diversas avarias nas ruas da cidade, a malha asfáltica teve em vários pontos, trechos arrancados além de vários problemas registrados nos bueiros e até mesmo o Poço Artesiano do Departamento Municipal de Água e Esgoto (DMAE), que abastece a cidade, quase ficou comprometido.

 Inúmeros problemas foram criados, e vem sendo solucionado de forma paulatina pela Seinfra. O córrego 2 de Junho, que corta a cidade teve sua canalização de pedra danificada em diversos pontos. A ponte que liga a parte alta da cidade à Vila Industrial, localizada na Rua 7 de Setembro teve sua cabeceira totalmente destruída, exigindo vários dias de trabalho para a sua plena recuperação.

O secretário municipal de Infraestrutura, Tsucasa Ito descreve, “são vários problemas para serem concertados e com certa urgência, tanto na zona rural quanto na urbana”, disso Ito afirmando ainda, “nossa equipe de trabalho tem realizado grande esforço para amenizar está situação incomoda para todos, principalmente os moradores da zona rural, entretanto, os estragos provocados carecem de medidas concretas na maioria dos casos, não vamos fazer o chamado quebra-galho e nas próximas chuvas rodar tudo novamente”.

Somente a primeira chuva deste mês de dezembro, num período de quatro horas, houve uma precipitação pluviométrica recorde, ou seja, cerca de 130 mm de água em apenas 4 horas. Esta foi à chuva que provocou o maior número de danos e prejuízos ao erário municipal. Com o tempo instável ultimamente torna-se ainda mais difícil solucionar os problemas já existentes.

O prefeito Arceno Athas Júnior salienta, “é preciso ter certo grau de paciência com as intempéries do tempo e, ao mesmo tempo, paciência também para deixar tudo novamente em ordem, levando em consideração que os prejuízos foram elevados, num momento extremamente delicado, final de ano, 13º salário, folha de dezembro, entre outros, e a arrecadação e os repasses constitucionais praticamente diminutos”.