Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 2 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Com adesão de médicos a protesto, população fica dois dias sem atendimento nas Unidades Básicas

Os casos de urgência e emergência estão sendo atendidos normalmente no posto central.

Flávio Paes/Região News

31 de Julho de 2013 - 13:53

Por dois dias, ontem e nesta quarta-feira, a população de Sidrolândia está sem atendimento médico nas unidades básicas. Os 13 clínicos gerais que integram as equipes de saúde da família na cidade paralisaram e aderiram ao movimento nacional de paralisação do atendimento ambulatorial nas redes públicas e privadas de saúde.

Os casos de urgência e emergência estão sendo atendidos normalmente no posto central. Os profissionais protestam contra o incentivo à vinda de médicos estrangeiros ao Brasil sem exame de revalidação do diploma, vetos de itens do ato médico e o programa Mais Médicos, que visa aumentar em mais dois anos o curso de medicina.

As paralisações fazem parte do calendário estabelecido pela Federação Nacional dos Médicos (Fenam) para registrar o descontentamento da categoria com as medidas adotas pelo Executivo federal sem o consentimento dos médicos.

Conforme a entidade, caso não haja avanços no movimento, os sindicatos médicos poderão decretar greve por tempo indeterminado a partir de 10 de agosto, dia em que está agendada a última atividade das paralisações relâmpago.

No dia 8 de agosto está programada uma marcha de profissionais da medicina em Brasília. Na ocasião, será realizada uma audiência pública sobre o Mais Médicos no Congresso Nacional.