Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 23 de Novembro de 2020

Sidrolandia

Com média 463,48 no Enem/2011, Sidrônio fica na posição 8.317 do ranking nacional

A única escola pública entre os dez primeiros foi o Colégio Militar de Campo Grande, que ficou em terceiro lugar ao conquistar média geral de 637,43 e 211° entre as de todo Brasil.

Flávio Paes/Marcos Tomé

23 de Novembro de 2012 - 13:52

Foto: Marcos Tomé/Região News

Maristela Gayozo Alfonso, de 17 anos e Dara Duarte Lechner, de 16 anos

Com uma média geral de 463,48 pontos no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2011, a Escola Estadual Sidrônio Antunes de Andrade ficou em 187º lugar no ranking estadual e no nacional na posição de número 8.317. O desempenho dos 180 alunos (61 dos estudantes do médio ficou 28,22% abaixo do obtido pelos do Bionatus, escolar particular de Campo Grande cujos alunos tiveram o melhor desempenho, 645,65).

A média foi 26,54% abaixo dos 566,5 pontos da Escola Dom Aquino, primeira colocada entre as escolas estaduais. De acordo com as informações do Ministério da Educação, a média nacional dos cerca de 891 mil alunos da rede pública que fizeram a prova ficou em 474,2 pontos, quanto que os quase 247 mil alunos de escolas particulares alcançaram a média de 569,2 pontos.

Só foram divulgadas as notas das escolas em que mais de 50% dos alunos matriculados fizeram as provas. Na prova sobre questões voltadas para ciências da natureza; os alunos do Sidrônio tiraram 436,35; nas ciências humanas, 487,51; na prova de matemática, 476,7 e na de redação 493,56.

No resultado do Enem por Escolas de Mato Grosso do Sul, o Colégio Bionatus de Campo Grande aparece com a melhor classificação, ao atingir nota de 645,65 de média geral e ficar 144° no ranking nacional. O segundo lugar foi conquistado pelo Colégio Lumière, de Dourados, que obteve nota de 644,90 e ficou na posição 156 em todo país.

A aluna do 3º ano do ensino médio da Escola Sidrônio, Dara Duarte Lechner, de 16 anos, fez o exame em 2011. Ela conta que o Enem serviu de base para testar seus conhecimentos. “Não lembro minha pontuação, mas me saí bem na redação que tinha o tema; Internet” comenta. Ela diz que também prestou o exame este ano.

Maristela Gayozo Alfonso, de 17 anos, prestou pela primeira vez o Exame Nacional do Ensino Médio no inicio deste mês. Quando questionado sobre as provas, diz que achou difícil desenvolver o texto da redação que tratou da imigração no Brasil. “Muito difícil, pois não dominava o assunto, mas, acredito que me saí bem”, avalia.

Dara Duarte estuda pra se formar em odontologia. Já sua amiga Maristela, prefere ciências exatas e quer se forma em engenharia civil. Para cursar engenharia, ela já tem o passe livre na Universidade Dom Bosco, instituição que realizou na escola uma espécie de competição do conhecimento onde o aluno com maior nota, ganharia bolsa de estudo.

Dos 102 alunos que participaram do “Desafio UCDB”, Maristela ficou entre as 20 melhores e ganhou o direito de ingressas na faculdade sem a necessidade de prestar vestibular. O mesmo caso se aplica para Dara, que não fara uso deste instrumento em decorrência da instituição de ensino superior não oferecer o curso em sua área escolhida.

Ranking Estadual

A única escola pública entre os dez primeiros foi o Colégio Militar de Campo Grande, que ficou em terceiro lugar ao conquistar média geral de 637,43 e 211° entre as de todo Brasil. Em quarto, aparece o Colégio Classe A de Campo Grande, que teve média geral de 629,10 e posição 294 nacionalmente. O Colégio Alexander Fleming, da Capital, registrou média geral de 627,67 e 306ª colocação nacional.

Em sexto lugar no Estado está o Colégio General Osório, de Campo Grande, com média geral de 620,67 e com isso ficou no 430° lugar do país. O Colégio Maria Montessori, da Capital, ficou em sétimo ao atingir a nota 619,46 e posição 459 no ranking brasileiro.

Na oitava colocação está o Instituto de Educação Paralellus, de Campo Grande, que ficou na posição número 593 em todo país ao atingir a média geral de 614,25. O Colégio Delphos, de Dourados, teve média geral de 610,08 e ficou na posição de 687 em todo país. O décimo colocado no ranking estadual das escolas está o Colégio Professora Julieta Mota dos Santos, de Coxim, com nota 599 e posição 1004 em todo Brasil.

Diagnóstico

Segundo o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, os resultados do Enem por escola servem somente como um diagnóstico. “É para que cada escola do Brasil possa fazer uma análise pedagógica bem criteriosa de como seus estudantes evoluíram”, salientou o ministro.

“O Enem não é um ranking entre as escolas. Ele é insuficiente como instrumento de avaliação do estabelecimento. O Enem avalia o aluno. Não podemos comparar as escolas, com naturezas distintas. Por exemplo, a maioria das escolas do Brasil são de portas abertas. No entanto, escolas que selecionam os ingressantes tendem a ter um desempenho melhor”, pontuou Mercadante.