Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 3 de Julho de 2022

Sidrolandia

Com mesmos nomes em novos grupos, cinco chapas deverão disputar comando da OAB em MS

O que motiva a nova cara das lideranças, no entanto, são os rachas políticos ocorridos entre 2013 e 2014

Midiamax

20 de Outubro de 2015 - 07:57

A cerca de um mês das eleições para a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), que ocorrem no próximo dia 20 de novembro, Mato Grosso do Sul se prepara para o maior certame das últimas décadas, marcado sobretudo por uma espécie de dança das cadeiras entre as congregações que compõem a seccional do Estado: em vez da costumeira cristalização dos antigos grupos, o que se observa é justamente o remanejamento de membros.

O que motiva a nova cara das lideranças, no entanto, são os rachas políticos ocorridos entre 2013 e 2014, gerados a partir do envolvimento do atual presidente da Ordem, Julio César Sousa Rodrigues, em tratativas contratuais com o prefeito Alcides Bernal (na época, afastado) – o que motivou uma renúncia, em massa, de cerca de 100 membros que pertenciam à chapa vencedora em 2012. Assim, o Conselho Nacional da OAB decidiu convocar 'eleições complementares', nas quais diversos advogados de coletivos derrotados em 2012 se candidataram aos postos desocupados, causando racha também na oposição.

O prazo de inscrição das candidaturas termina nesta terça-feira (20) e até o momento três chapas já formalizaram a participação. Mas, até o prazo final, outras duas deverão fazer o registro, o que culminará em cinco grupos disputando o comando, nos próximos quatro anos, da OAB-MS. São diversos rostos conhecidos. O que muda, no entato, são as posições.

Novos grupos, mesmos nomes

Liderados pelo atual vice-presidente da Ordem, Mansur Elias Karmouche, o grupo 'Ordem em Progresso' já foi registrado como chapa na última sexta-feira (16) e traz Gervásio Alves como vice (que é ligado ao advogado Alexandre Bastos, cabeça de uma das chapas que concorreu em 2012). Eles apresentam propostas voltadas aos novos advogados e até fecharam apoio com o representante estadual da ANA (Associação de Novos Advogados), Vinícios Monteiro Paiva. “Fizemos um projeto novo, com uma proposta de mudança, junto à juventude, os novos advogados. Para tanto, desde março, percorremos o Estado com o objetivo de ouvi-los e fazer um raio X, um diagnóstico das necessidades da categoria”, afirma o candidato.

O advogado foi integrante da chapa de Marco Tulio Murano Garcia - então apoiado por ex-presidentes da Ordem como Vladimir Rossi, Fabio Trad e Geraldo Escobar. No entanto, Karmouche entrou na vice-presidência da Ordem, quando as novas eleições, complementares, foram convocadas.

O fato não foi bem visto por algumas congregações que também manifestaram apoio ao grupo de Mansour em 2012, a exemplo dos liderados pelo advogado Luiz Renato Adler, do 'Nossa Ordem', e pela advogada Mônica Barros Reis, do grupo de advogadas 'Fratérnitas que se uniram'. Eles formalizam amanhã a candidatura de oposição, com Adler no posto de presidente e Mônica Barros como vice. Juntos, eles trazem a proposta inovadora no Estado, como a paridade de gênero entre os integrantes.

“Nossa proposta é priorizar os advogados do interior, estimular a participação de mulheres advogadas e fazer da Ordem exemplo político sendo, portanto, contra reeleição do presidente e atos como boca de urna”, explica o ainda pré-candidato. Mônica também destaca que a participação das mulheres não se dará apenas nos 30%, conforme resolução da OAB Nacional, e em cargos de suplência. “Teremos uma participação efetiva das mulheres advogadas, compondo 50% dos cargos no nosso grupo", diz Barros. Os advogados Oton Nasser de Mello, Luiz Henrique Volpe Camargo e Andreia Flores também aderiram ao grupo.