Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 26 de Novembro de 2021

Sidrolandia

Com previsão de plantar 156 mil hectares, produtor de Sidrolândia emprestou R$ 35 milhões no BB

O volume de empréstimos liberados durante o pré-custeio em junho, saltou de R$ 4 milhões no ano passado para R$ 25 milhões.

Flávio Paes/Região News

30 de Setembro de 2013 - 10:40

Animados com o preço da soja (R$ 65,00 a saca de 60 quilos) e os bons resultados  da safra passada, quando foram colhidas 361 mil toneladas, a maior produção dos últimos 9 anos, o produtor de Sidrolândia vai aumentar em 10% a área  de cultivo que começa a ser plantada em 10 de outubro. A área plantada atingirá 156 mil hectares e a produção, se o tempo ajudar, pode atingir mais de 388 mil toneladas.

 Esta confiança também se refletiu no número de financiamentos contratados junto ao Banco do Brasil para custear a lavoura que corresponde a 30% da área plantada. O volume de empréstimos liberados durante o pré-custeio em junho, saltou de R$ 4  milhões no ano passado para R$ 25 milhões.

No total as operações fechadas para a safra 2013/2014 resultaram na liberação de R$ 35 milhões. Este incremento do pré-custeio decorre também de uma ação mais agressiva do Banco do Brasil que promoveu diversas rodadas de negócios com os produtores para conscientizá-los da importância de antecipar a contratação do empréstimo.

Com essas medidas de cautela, comprar os insumos num período de preços mais acessíveis de adubos, sementes e fertilizantes gerou, por exemplo, para quem comprou os insumos em junho ou julho uma economia de 25% no custo de produção. A taxa de juros de crédito agrícola do pré-custeio é de a 5% ao ano.

Outra alternativa que a instituição financeira oferece ao produtor é possibilidade de fazer giro com a colheita, mesmo quando o grão está armazenado a espera de reação do mercado. Apresentando o comprovante de depósito do produto colhido, destinando-o para armazenagem, o produtor obtém do banco a linha de crédito denominada de Cédula do Produtor Rural.

O CPR consiste basicamente em obter empréstimo com juros de 1% ao mês com pagamento em até 180 dias. Ou seja, o grão fica armazenado até o período de entressafra quando se espera reação do mercado. O Banco do Brasil garante ao produtor, para fim de base de cálculos, R$ 21,00 na saca do milho. Essa taca de juros representa cerca de R$ 1,26 por saca depositada em garantia.

Neste caso são duas as vantagens: o agricultor vai vendendo sua produção aos poucos, nos momentos em que os preços estiverem melhores e pode pagar o financiamento quando achar conveniente.

Produção

Se a  estimativa do IBGE de que na safra 2013/2014 a área plantada com soja em Sidrolândia atingirá 156 mil hectares, o incremento acumulado nos últimos três anos será de 35%. Na safra 2010, por exemplo, foram plantados 115 mil hectares com o grão. Isto significa que 41 mil hectares, antes ocupados por pastagens e cana de açúcar, se tornaram lavouras de soja.

Numa  área de 156 mil hectares se for repetida a produtividade da safra 2012/2013 (41,5 sacas por hectare) a produção atingirá 388.440 toneladas, um incremento de 7,47% do que foi colhido neste ano (361 mil toneladas).

Histórico da Produção de Sidrolândia

Ano - Área plantada - Produção Colhida
2004 - 85 mil hectares - 178.500 toneladas
2005 – 94.800 hectares- 199.800 toneladas
2006 – 93 mil hectares - 231.900 toneladas
2007 – 95 mil hectares – 267.900 toneladas
2008 - 95 mil hectares - 256.900 toneladas
2009 – 97 mil hectares - 238.620 toneladas
2010 – 115 mil hectares – 345.000 toneladas
2011 -120 mil hectares - 194.400 toneladas
2012 – 130 mil hectares – 358 mil toneladas
2013- 142 mil hectares – 361 mil toneladas 
2014 – 156 mil hectares é a área plantada prevista