Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 15 de Agosto de 2022

Sidrolandia

Comitiva se reúne com concessionária em Curitiba para discutir orla ferroviária

A Prefeitura já manifestou interesse, numa reunião realizada em junho passado na ANTT, de encampar a área para implantar uma orla ferroviária

Flávio Paes/Região News

02 de Setembro de 2015 - 11:00

Uma comitiva liderada pelo secretário de Governo, Ilson Peres, que representa o prefeito Ari Basso, e o presidente da Câmara , David Olindo, se reúne nesta quarta-feira à tarde  em Curitiba com a direção da ALL/Corsan , empresa  detentora da concessão do ramal ferroviário (desativado há muitos anos) que liga Campo  Grande a Ponta Porã, passando por Sidrolândia e Maracaju.  Em pauta a proposta encaminhada à ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre) de transferência para a Prefeitura do antigo traçado  dos trilhos na área urbana da cidade, do complexo ferroviário (com casas dos trabalhadores  e a estação), além de 14 hectares que integravam a antiga esplanada.

No próximo dia 02 de outubro já está marcada uma audiência pública na  Câmara quando a questão será debatida com representantes da ANTT, Ministério dos Transportes e do Serviço do Patrimônio da União, que já teria notificado quem invadiu a faixa de domínio  dos trilhos a deixar a área. Na antiga esplanada há pelo menos dois posseiros. Na sexta-feira, estas pessoas se reunirão  no Legislativo com a Defensoria Pública que vai expor a situação.

A Prefeitura já manifestou interesse, numa reunião realizada em junho passado na ANTT, de encampar a área para implantar uma orla ferroviária (com ciclovia e pista de caminhada) no traçado dos trilhos no trecho entre a Rua Generoso Ponce e os fundos do frigorifico da SEARA/JBS. Os 14 hectares poderiam ser aproveitados para construção de equipamentos públicos e abertura de uma avenida, uma nova ligação alternativa entre o São Bento (o bairro populoso de Sidrolândia) com o centro da cidade. O presidente da Câmara, propõe o tombamento da estação e que o prédio seja transformado numa espécie de museu.

Além de Peres e David, estão em Curitiba o diretor de Planejamento da Prefeitura, Geraldo Santos e a vereadora Rosangela Rodrigues dos Santos. A vereadora na época em que foi presidente da Câmara, biênio 2009/2010, chegou encaminhar junto com o então prefeito Daltro Fiuza, a proposta de permutar os 14 hectares com os 5 hectares adquiridos pelo município para ampliar a aldeia urbana Tereré, que seriam incorporados ao patrimônio da União. O projeto não foi adiante porque na época estes bens ainda faziam do espólio falida da antiga Rede Ferroviária e não poderiam ser objeto de negociação porque estavam em garantia do passivo da estatal.

Com a transferência destes bens para o a SPU e o desinteresse da concessionária em  reativar  o ramal ferroviário, há possibilidade do  projeto sair do papel. O diretor do Detran, Gerson Claro, já colocou a disposição um engenheiro para elaborar o projeto preliminar. O deputado Vander Loubet estaria disposto a encaminhar  a proposta com uma emenda parlamentar reservando recursos do orçamento da União.