Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 22 de Setembro de 2021

Sidrolandia

Como reivindicação, policiais federais param atividades por 24 horas

Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Federais no Estado do Mato Grosso do Sul, Jorge Caldas, o concurso e as funções são de nível superior, mas o subsídio é de nível médio.

Campo Grande News

06 de Setembro de 2013 - 10:39

Cerca de 70 agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal paralisaram as atividades nesta sexta-feira (6). A mobilização que deve durar 24 horas é uma reivindicação para a reestruturação da carreira. A categoria quer a adequação da tabela salarial de nível superior dos cargos de escrivão, papiloscopista e agente.

Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Federais no Estado do Mato Grosso do Sul, Jorge Caldas, o concurso e as funções são de nível superior, mas o subsídio é de nível médio.

O representante do sindicato, também alega que a paralisação de 71 dias que a Polícia Federal realizou em agosto do ano passado, não gerou resultados. “Isso já foi motivo de negociações e reuniões no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e no Ministério da Justiça, mas nada mudou”, ressalta.

Os agentes estão concentrados em frente à sede da PF, que fica na Vila Sobrinho. No interior, a concentração acontece em frente às delegacias nas cidades de Dourados, Corumbá, Naviraí, Três Lagoas e Ponta Porã.

Os serviços, como emissão de passaportes não foram suspensos e 30% do efetivo está trabalhando. ”Nossa intenção não é prejudicar a sociedade, mas sim, chamar a atenção do governo federal, para melhorias nas condições de trabalho”, explica Caldas.

Como protesto, os manifestantes queimaram diplomas e atribuições enviadas pelo diretor geral. Uma audiência pública marcada para acontecer às 14h na Assembleia Legislativa de Campo Grande, vai debater os problemas do desempenho das funções da Polícia Federal.