Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 3 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Comunidade indígena de Aquidauana agradece por curso do Senar/MS

O produtor rural sustenta a cadeia do agronegócio, respondendo diretamente por 17% do PIB sul-mato-grossense.

Famasul

30 de Agosto de 2013 - 10:00

Em um texto simples, escrito na vertical em uma folha de caderno, a comunidade indígena Cruzeiro, localizada em Aquidauana, expressou seu agradecimento pela capacitação profissional oferecida pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/MS).

O presidente da associação da aldeia, Aluizio Gonzaga, enviou carta ao Senar em nome dos 27 participantes do curso de Horticultor Orgânico, realizado através do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), entre junho e agosto de 2013, agradecendo pelas perspectivas profissionais geradas pela formação.

Na carta, o presidente da associação daquela aldeia, Aluízio Gonzaga, manifesta no seu linguajar simples o que classifica como oportunidade de mudar de vida através da capacitação.  "Venho agradecer a instrutora Tainara, instrutor Zeno, instrutor Minari, instrutora Jussara, a Vanusa e professores que vem nos capacitar. Nunca nós vamos esquecer de vocês e pedimos que não esqueçam de nós. Estamos aqui de porta aberta para receber vocês aqui novamente, pelo Senar e Pronatec. Gratos e obrigado. Um abraço a todos," escreveu Gonzaga em um texto organizado em colunas.

No dia 11 de junho, durante a abertura do curso, o líder indígena da aldeia, Ivanilson Machado Peixoto, destacou que a realização do curso era motivo de entusiasmo e gerou grande expectativa nos inscritos. "Estamos muito felizes e animados para aprender", manifestou.

Entre os instrutores que ministraram o curso, está a indígena Tainara Ferreira Terena, que passou pelo processo de formação de instrutores do Senar e hoje, ministra as aulas aliando os conhecimentos técnicos e a preservação da cultura indígena. Mais três instrutores indígenas estão em fase de capacitação para ingressar também no quadro de colaboradores do Senar.

Não foi apenas a aldeia Cruzeiro que contou com as qualificações do Senar. As comunidades Limão Verde e Córrego Seco, também em Aquidauana, receberam os cursos de Produtor de Mandioca e Horticultor Orgânico. O número de participantes das três aldeias ultrapassa 65 pessoas

No dia 20 de agosto, O Senar/MS se reuniu com o Ministério Público Federal (MPF) e outras instituições relacionadas às comunidades indígenas do Estado. Durante a reunião, os procuradores Emerson Kalif Siqueira e Marco Antônio Delfino de Almeida solicitaram a expansão das qualificações promovidas pelo Senar aos indígenas do Estado, diante da grande demanda de formação dessas comunidades. "Sabemos que o trabalho para os indígenas é direcionado. A cultura e toda sua organização social precisam ser respeitadas e a qualificação deve ser no segmento do trabalho no campo", frisou Siqueira.

O diretor técnico do Sistema Famasul, da qual faz parte o SenarMS, Clodoaldo Martins, destaca a relevância da realização de capacitações nas aldeias. “Queremos que a comunidade indígena tenha base sólida sobre a produção, aprimore seus conhecimentos e formas de comercialização”. Durante a reunião, Martins anunciou a ampliação das capacitações nas aldeias em 2014.

Estão previstos cursos de Viveicultor (cultivo de mudas), Operador de Computador e Tratorista para o próximo ano e ainda em 2013 serão realizados cursos de Horticultor Orgânico nas aldeias Água Branca e Taboquinha, em Nioaque; Produtor de Mandioca, nas aldeias Taboquinha e Brejão, também em Nioaque e ainda Olericultor (plantio de horti-fruti), nas aldeias Jarará e Taquara em Juti. As aulas iniciam em setembro e outubro.

Sobre o Sistema Famasul – O Sistema Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS) é um conjunto de entidades que dão suporte para o desenvolvimento sustentável do agronegócio e representam os interesses dos produtores rurais de Mato Grosso do Sul. É formado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Fundação Educacional para o Desenvolvimento Rural (Funar), Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja/MS) e pelos sindicatos rurais do Estado.

O Sistema Famasul é uma das 27 entidades sindicais que integram a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Como representante do homem do campo, põe seu corpo técnico a serviço da competitividade da agropecuária, da segurança jurídica e da valorização do homem do campo. O produtor rural sustenta a cadeia do agronegócio, respondendo diretamente por 17% do PIB sul-mato-grossense.