Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 18 de Maio de 2021

Sidrolandia

Consultoria do Sesi reduz acidentes e aumenta produtividade nas indústrias

O modelo de gestão em SST do Sesi de Mato Grosso do Sul, lançado em outubro do ano passado, é pioneiro no Brasil e referência para outros 20 Estados do País

Daniel Pedra

25 de Novembro de 2016 - 15:51

O programa de gestão em saúde e segurança do trabalho realizado pelo Sesi em Mato Grosso do Sul tem contribuído para que as empresas atuem preventivamente, oferecendo ao trabalhador condições adequadas para a realização das tarefas diárias e, desta forma, favorecendo o aumento da produtividade. Esses resultados positivos foram apresentados pela diretora de SST do Sesi do Estado, Adriana Sato, nesta quinta-feira (24/11), durante o 1º Fórum de Integração Trabalhista, realizado no auditório da Universidade Federal de Mato Grosso Sul (UFMS), em Campo Grande (MS), pela Superintendência Regional do Trabalho em Mato Grosso do Sul (SRT/MS).

Em sua apresentação, Adriana Sato explicou que o Programa vai além da legislação e ajuda a empresa a agir preventivamente nos aspectos relacionados à segurança e saúde do trabalho, o que vai ao encontro do que preconiza o Ministério do Trabalho. “Essa é a primeira vez que o Sesi é convidado pelo Ministério do Trabalho para participar deste tipo de evento, onde podemos apresentar nossas ações”, pontuou a médica do trabalho, ressaltando, ainda, a importância da aproximação do setor produtivo com o órgão que fiscaliza o trabalho.

“O objetivo da nossa consultoria é empregar gestão para proteger a integridade do funcionário na indústria e diminuir os acidentes de trabalho e doenças ocupacionais, que representam perdas para todos os envolvidos”, destacou Adriana Sato. Já o chefe da Seção de Inspeção da Superintendência Regional do Trabalho, Kleber de Araujo e Silva, também falou sobre a consonância dos serviços do Sesi com o que preconiza o órgão.

“O intuito do Fórum é fazer uma aproximação com os representantes do setor produtivo e o Sesi se destaca nessa dinâmica, com um programa de gestão que julgamos ideal dentro do Ministério do Trabalho, especialmente pelo fato de as ações distinguirem a dinâmica das grandes das pequenas e médias empresas”, elogiou Kleber Araujo, após assistir a palestra de Adriana Sato.

Sesi SST

A diretora detalhou como funciona o programa de Gestão em SST do Sesi e apresentou como a consultoria apoia a empresa na gestão da segurança e da saúde, avaliação do ambiente físico de trabalho, identificação de situações de risco e criação de medidas de correção, além de cases de sucesso de indústrias que já receberam o suporte, dados e estatísticas, a diretora explicou como os acidentes de trabalho impactam na sociedade como um todo.

“Para os trabalhadores, o acidente de trabalho pode ocasionar incapacidade, temporária ou definitiva, com impactos sobre a vida social, familiar e laboral. Para a empresa, o acidente acarreta aumento da tributação, perda de mão de obra especializada, além de responsabilização cível e criminal. Para o Estado, há custas previdenciárias e hospitalares, além da perda da capacidade de trabalho, que também são fatores importantes. Assim, a cada vez que um trabalhador sofre um acidente, todos estes envolvidos são afetados”, reforçou.

O modelo de gestão em SST do Sesi de Mato Grosso do Sul, lançado em outubro do ano passado, é pioneiro no Brasil e referência para outros 20 Estados do País. Consiste na consultoria do Sesi para levar às empresas ações preventivas e gestão integrada, com objetivo de aumentar a produtividade e reduzir custos com acidentes de trabalho e ocupacionais.

Além do programa, está em construção, com previsão de inauguração para agosto de 2017, a obra do Sesi SST (Centro de Referência de Inovação em Saúde e Segurança no Trabalho), que em 1,2 mil metros quadrados de área construída e investimentos de R$ 7 milhões, vai reunir salas de treinamento, salas de atendimento em saúde, salas de reunião e auditório, tudo planejado para atender às necessidades das empresas instaladas no Estado, como cursos de educação continuada relacionados à saúde e segurança do trabalho.