Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 29 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Corpo de homem desaparecido no rio Paraná é encontrado no Jupiá, em Três Lagoas

De acordo com informações das autoridades locais, testemunhas teriam visto a vítima na água

Rádio Caçula

16 de Janeiro de 2014 - 08:55

O corpo de Adilson de Carvalho Bonfim, 39 anos que desapareceu na noite da última sexta-feira no rio Paraná, em Ilha Solteira, foi encontrado por volta das 15h30 desta quarta-feira (15) boiando próximo as turbinas 13 e 14 da Usina Hidrelétrica Engenheiro Souza Dias, localizada na região do Jupiá, em Três Lagoas (MS). Um funcionário que estava em cima de uma torre avistou o corpo e primeiramente achou que fosse um boneco inflável, mas após verificações percebeu que se tratava de um corpo humano e avisou aos bombeiros.

O desaparecimento foi comunicado no dia 10 de janeiro e como já estava no horário noturno, as buscas na água tiveram início na manhã seguinte próximo ao porto de Ilha Solteira, onde o barco dele foi encontrado com o motor ligado. De acordo com informações das autoridades locais, testemunhas teriam visto a vítima na água.

Após o recolhimento, o corpo de Adilson será encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal) de Andradina para exame necroscópico e depois liberado para a família fazer o sepultamento, que deve acontecer nesta quinta-feira (16).

Mobilização

As buscas foram auxiliadas pelo helicóptero Águia da Polícia Militar de Araçatuba e na noite de terça-feira (14) uma equipe da Marinha, vinda do Rio de Janeiro, chegou em Ilha Solteira para a ajudar no trabalho. Os bombeiros trabalhavam com a possibilidade de o corpo estar preso a algas no fundo do rio. Isso porque, geralmente em casos de afogamento o corpo acaba boiando num prazo de três dias quando não é localizado dentro da água.

Participaram das buscas três homens da Marinha com um bote inflável; bombeiros também utilizando um bote inflável; mergulhadores da Cesp (Companhia Energética de São Paulo), um responsável pela usina do Jupiá, de forma voluntária; pescadores locais e o helicóptero Águia de Araçatuba.