Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 8 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Cortar rabos e orelhas de cães pode gerar punição a donos e veterinários em MS

A mutilação de animais domésticos é encarada como crime pela lei, que prevê aos proprietários pena de detenção de três meses a um ano, além de multa.

G1

22 de Julho de 2013 - 14:23

A prática de cortar rabo, orelhas de cães e arrancar as garras dos gatos, que já foi até mesmo padrão de estética para algumas raças, é considerada mutilação e crime ambiental. O Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV-MS) alerta que profissionais que fazem a cirurgia e até mesmo os donos dos animais podem ser punidos.

Desde 2008, uma norma federal proíbe cortar orelhas e rabos de cães, operar cordas vocais dos cães para eles não latirem, e cortar garras e falanges de gatos. Nos felinos, a mutilação era feita para que não aranhassem os donos e nem o mobiliário das casas. As orelhas compridas protegem os ouvidos de insetos e da entrada de água. Já o rabo é fundamental para o equilíbrio dos animais.

Veterinários que descumprirem a norma estão sujeitos a punição. A mutilação de animais domésticos é encarada como crime pela lei, que prevê aos proprietários pena de detenção de três meses a um ano, além de multa.