Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 16 de Janeiro de 2022

Sidrolandia

Daltro assina ordem de serviço para construção de Praça Poliesportiva

A Gongo Construtora Ltda. EPP venceu a licitação e executará a obra ao custo de R$ 571.927, 09 mil.

Flávio Paes/ Região News

16 de Maio de 2011 - 13:32

Daltro assina ordem de serviço para construção de Praça Poliesportiva
Daltro assina ordem de servi - Foto: Marcos Tom

Na última quinta-feira o prefeito Daltro Fiúza assinou a ordem de serviço para  construção de uma praça poliesportiva no Jardim Paraíso custeada com os recursos economizados do orçamento da Câmara de 2010 e que foram  devolvidos ao Executivo em outubro do ano passado.

A Gongo Construtora Ltda. EPP venceu a licitação e executará a obra ao custo de R$ 571.927, 09 mil. Uma parcela complementar do dinheiro devolvido (R$ 700 mil), em torno de R$ 129 mil , será investido na revitalização da área de lazer do Bairro Cascatinha II.

O projeto prevê a construção de uma quadra poliesportiva, pista de caminhada, campo de futebol suíço, playground, iluminação, arborização e vestiários para os atletas. A confirmação da assinatura da ordem de serviço foi dada hoje pela vereadora Dra. Rosangela, em cuja administração como presidente da Câmara, devolveu recursos ao Executivo para a construção da Praça no Jardim Paraíso bairro da cidade carente de infraestrutura de lazer e pratica esportiva para a comunidade.

A vereadora Rosangela vai pleitear junto ao prefeito que a quadra poliesportiva seja entregue com cobertura e a Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer, instale uma academia a céu aberto na praça poliesportiva, melhorias que estão previstas no projeto original da obra.

O início da construção da Praça Poliesportiva do Jardim Paraíso foi retardado porque uma das empresas que participou da licitação (a Aro Engenharia Litda) entrou com recurso administrativo para tentar eliminar as concorrentes sob o argumento de que não tinham engenheiros habilitados junto ao CREA (Conselho Regional de Arquitetura e Engenharia) para coordenar, supervisionar a execução da obra.

O processo só foi julgado no final de fevereiro.