Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 24 de Outubro de 2020

Sidrolandia

David Olindo quer invocar testemunho de vereadores para se livrar de processos movidos por Gerson

A queixa-crime que Gerson entrou contra David toma como base a postagem que David veiculou em sua pagina no facebook no último dia 06 de maio.

Flávio Paes/Região News

20 de Julho de 2014 - 23:49

Acostumado a disparar impunemente sua metralhadora giratória (na maioria das vezes sem provas) contra tudo e contra todos, inclusive seus colegas de Legislativo, o vereador David Olindo (SDD) foi levado à Justiça pelo advogado Gerson Claro, ex-presidente do diretório municipal do PDT, depois de  acusa-lo  em postagens no seu facebook de “ter  vendido o partido e a bancada pedetista para o prefeito“, além de tentar corromper o vereador Edivaldo dos Santos, que migrou para a oposição depois de em 2013 ter exercido a liderança do Governo.

Para tentar escapar da queixa-crime que pode lhe custar em caso de condenação, de seis meses a dois anos de detenção (por calúnia) e de três meses um ano e multa (a difamação) e da ação por reparação por reparação de dano moral, que pode lhe trazer prejuízo financeiro com o pagamento de indenização, David anunciou que vai invocar como testemunhas  de defesa, de cinco colegas de Legislativo.

Ele vai tentar convencer os vereadores Mauricio Anache, Rosangela Rodrigues dos Santos, Jurandir Cândido, Marcos Roberto, Edivaldo dos Santos, a sustentar em juízo sua teoria de que Gerson “vendeu” o PDT para os vereadores do partido integrarem a base aliada. Ele diz inclusive que pretende pedir que estes vereadores façam uma acareação com o vereador Edno Ribas (a quem  chama de coitado) para confirmar que ouviram dele (Edno) a “versão” difundida por  Olindo sobre o entendimento político que resultou no alinhamento pedetista com a gestão tucana.



A queixa-crime que Gerson entrou contra David toma como base a postagem  que o vereador  veiculou em sua pagina no facebook no  último dia 06 de maio, quando  fez acusações contra o ex-presidente do  PDT municipal, não poupou nas adjetivações contra Claro Dino, a quem chama de “aquele da Lei de Gerson, de sempre levar vantagem, o que o venceu o PDT e a bancada para o prefeito, até porque, fora  dar emprego pro Galdino (o ex-vereador Antonio Galdino, nomeado secretário de Infraestrutura), pegar um contrato gordo para o seu escritório, esse tal Gerson, não trouxe nenhum beneficio a Sidrolândia e nem à base do prefeito”.

Na petição da ação para reparação,  o ex-presidente do PDT e os advogados Alexandre Bastos, Bento Monteiro e Camila Cavalcante Bastos, pedem a retirada da postagem que julgam ofensivas, sob pena de multa diária de R$ 1 mil, além de pleitear ao juiz que proíba o vereador de novas postagens “que maculem a honra e a imagem de Gerson”.