Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 26 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Defesa Civil realiza fiscalização no transporte de cargas perigosas em Mundo Novo

Até o momento, três caminhões provenientes do Paraguai com carga irregular de carvão vegetal foram apreendidos.

Notícias MS

18 de Julho de 2013 - 14:27

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Mato Grosso do Sul (Cedec/MS) realiza desde a última terça-feira (16) uma fiscalização das cargas perigosas no posto da Secretaria de Estado de Fazenda em Mundo Novo, no sul do Estado. A ação dá continuidade aos trabalhos da Comissão Estadual de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida a Acidentes Ambientais com Produtos Perigosos (CE P2R2-MS), realizada com o Corpo de Bombeiros.

O intuito da fiscalização, que conta com efetivo de sete homens da Defesa Civil e dois do Corpo de Bombeiros, é levantar dados sobre as cargas perigosas que transitam na região e posteriormente divulgar para a população os cuidados que devem ser tomados em casos de acidentes envolvendo carga perigosa.

Durante a fiscalização, que se estende até a tarde de sexta-feira (19), os técnicos da Defesa Civil verificam as condições dos veículos quanto aos equipamentos de emergência e sinalização do produto perigoso, os equipamentos de proteção individual do motorista, além das documentações necessárias para o transporte. “É um trabalho que visa prevenir acidentes com produtos perigosos e também conhecer as principais rotas destes. Esse trabalho vem sendo desenvolvido desde 2011 pela Defesa Civil, que já fiscalizou mais de 1.200 veículos em cinco operações”, informou o tenente-coronel Adriano Noleto Rampazo, comandante da operação.

Até o fechamento desta matéria já haviam sido fiscalizados cerca de 70 caminhões e a expectativa é que a ação seja encerrada com a abordagem de pelo menos 100 veículos, de acordo com Rampazo.

Carga irregular

Até o momento, três caminhões provenientes do Paraguai com carga irregular de carvão vegetal foram apreendidos. A carga tinha como destino o Estado do Paraná. “Os veículos não continham a documentação exigida para o transporte do carvão nem as sinalizações necessárias para o transporte. Todos os veículos foram encaminhados para a Polícia Rodoviária Federal (PRF)”, finalizou Rampazo.