Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 21 de Outubro de 2021

Sidrolandia

DEFINITIVO: Ademir esta livre da Uragano e deve assumir cargo no governo

Ademir deverá ser nomeado em cargo de confiança no governo de Puccinelli nos próximos dias

Marcos Tomé/Região News

15 de Março de 2011 - 23:59

DEFINITIVO: Ademir esta livre da Uragano e deve assumir cargo no governo
DEFINITIVO: Ademir esta livre da Uragano e deve assumir cargo no governo - Foto: Marcos Tom

Agora é definitivo.  Como terminou o prazo e o Ministério Público não recorreu, o ex-vereador Ademir Osiro está livre das acusações de envolvimento numa esquema de corrupção que veio a público a partir da Operação Uragano da Polícia Federal que derrubou o ex-prefeito de Dourados, Ary Artuzi e boa parte da Câmara Municipal.

Osiro foi absolvido no mês passado pela  1ª Turma Criminal do TJ (Tribunal de Justiça) de Mato Grosso do Sul  que determinou o trancamento da ação penal entendendo que  não havia provas para sustentar qualquer acusação contra Osiro. Como o MP não contestou a decisão da turma, o processo se encerra.

 Osiro chegou a ser acusado pelo MPE (Ministério Público Estadual) de corrupção ativa, formação de quadrilha e fraude em licitação, por conta dos negócios da GWA Transportes com a prefeitura de Dourados. A defesa argumentou ausência de justa causa na denúncia, pois, na época dos fatos, Ademir não era mais sócio proprietário da empresa que estaria envolvida em crime contra a administração pública.

Justificativa o relator do processo, desembargador João Carlos Brandes Garcia, votou pela concessão o pedido, por entender que os documentos evidenciam que, ao tempo da ocorrência dos crimes narrados pelo Ministério Público, Osiro não tinha qualquer responsabilidade pela empresa. Por isso, não podendo responder penalmente por fatos ocorridos posteriormente ao seu desligamento do quadro de sócios.

“Na data dos fatos narrados na acusação, o paciente não era mais sócio na empresa envolvida no crime de fraude à licitação no município de Dourados, sobretudo porque ocupava o cargo de diretor-presidente da Agência Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade Industrial (INMETRO)”, escreveu o relator.

A desembargadora Marilza Lúcia Fortes lembrou que todos os atos entre a prefeitura e a empresa de transporte GWA foram assinados por um irmão de Osiro, que permaneceu como sócio proprietário com a saída do paciente do quadro societário. De acordo com ela, a denúncia não pontua qual a função do paciente no esquema, ou sequer demonstra haver indícios de que o autor do pedido tenha qualquer envolvimento com a Operação Uragano.

“Razão pela qual o trancamento é medida que se impõe”, disse ela, acompanhando o posicionamento do desembargador Brandes Garcia, no que foi seguida pelo desembargador Dorival Moreira dos Santos.

ENTENDA O CASO

Os donos da empresa GWA Transportes são acusados de envolvimento em fraude no transporte escolar em Dourados e o caso foi amplamente divulgado na imprensa em razão de ser parte da Operação Uragano, desencadeada em setembro de 2010 pela Polícia Federal.

Em consequência das investigações, foram presos o então prefeito de Dourados, vários secretários municipais e nove dos 12 vereadores daquela cidade por participação em esquema de corrupção. Segundo o narrado nos autos, os donos da empresa de transporte entregavam 10% de comissão indevida ao ex-prefeito Ari Artuzi pelo transporte de alunos.

Ademir Osiro agora se fortalece para entrar na disputa pela prefeitura de Sidrolândia em 2012, na qual aparece como um nome forte, despontando em segundo lugar em pesquisa de opinião pública sem uso de métodos científicos encomenda pelo Jornal Eletrônico Região News na intenção de voto.

O seu nome aparece como uma alternativa para aglutinar um bloco de partidos que pretende se contrapor ao já declarado candidato do PSDB, Enelvo Felini. "Quero ser uma alternativa de renovação política e transformação administrativa de nossa cidade", declara Osiro que disputou uma vaga de deputado federal e teve expressiva votaçã, mesmo com sua candidatura prejudicada pelas denúncias (das quais foi absolvido) nascidas na Operação Uragano.

CONFIANÇA DE ANDRÉ PUCCINELLI

Após ver sua campanha de federal ir por água a baixo devido denúncias, Osiro teve de provar sua inocência e limpar a mancha que arrastou seu nome para as páginas dos principais jornais e mídia eletrônica do estado. Vencido esse momento, Ademir começa vida nova e deverá entrar na justiça para fim de que o MPE repare os danos causados a sua pessoa e família.

De alma lavada e entusiasmado, com o momento político que esta por vir, Osiro revelou com exclusividade ao Jornal Eletrônico Região News que deverá retornar ao governo do estado. “André Puccinelli convidou-me para assumir cargo em seu governo, porém, priorizei em provar para sociedade sidrolandense minha inocência”, afirma. Ademir deverá ser nomeado em cargo de confiança no governo de Puccinelli nos próximos dias.