Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 17 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Doações caem 50% no hemocentro de Dourados

Enquanto caem os estoques, a demanda causada por transfusões e cirurgias só aumenta, o que requer maior quantidade de oferta de bolsas

Dourados Agora

27 de Dezembro de 2010 - 15:17

As doações de sangue caíram pela metade neste fim de ano em Dourados. Com isso o Hemocentro já trabalha no limite de bolsas. De acordo com a assistente social Rosa Fernandes, falta todo tipo de sangue. Os estoques de A negativo, O negativo e AB positivo são os mais baixos.

De 60 doações diárias, hemocentro passou a contar com apenas 30 nos últimos dias. Segundo Rosa, o motivo para a baixa está relacionada ao consumo maior de álcool durante as confraternizações de fim de ano e as viagens. Enquanto caem os estoques, a demanda causada por transfusões e cirurgias só aumenta, o que requer maior quantidade de oferta de bolsas.

Segundo Rosa, convocações de doedores estão sendo feitos por telefone. Nessa semana o Hemocentro funciona entre 27 e 30 de dezembro, das 6h30 até às 12h.

Interessados em doar sangue devem comparecer ao Hemocentro bem alimentados e munidos de documento de identidade com foto, estar bem de saúde, ter entre 18 e 65 anos, pesar mais de 50 quilos, evitar bebidas alcoólicas 12 horas antes e alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação.

NÃO PODEM DOAR

Pessoas que tiveram hepatite depois dos 10 anos de idade não devem doar sangue. Antes dessa idade, a doença não é empecilho porque provavelmente se trata de hepatite A, cujo vírus é eliminado por completo do organismo. Quem teve hepatite B ou C, portadores do vírus HIV (Aids) ou de doença infecciosa transmitida pelo sangue; diabéticos que usam insulina ou anti-hipoglicemiantes por via oral também não devem doar.

Estão incluídos neste grupo, ainda, mulheres grávidas ou que estão amamentando; pessoas com febre; peso abaixo de 50 quilos, com mais de 65 anos ou que tiveram perda inexplicada de 10% do peso em um mês. Também não podem doar, epilépticos ou com crise de asma; os que tenham passado por cirurgia, recebido transfusão, feito tatuagem ou colocado piercing há menos de um ano. Quem teve dengue deve aguardar três meses; pacientes que passaram por exame de endoscopia, um ano. A gripe H1N1 inviabiliza a doação por um período de até um mês.