Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 24 de Maio de 2022

Sidrolandia

Documentos falsos para índios causaram prejuízos de R$ 4 milhões ao INSS

O lucro do grupo era aumentado, segundo a investigação, com contratação de empréstimos consignados fraudulentos.

Correio do Estado

24 de Novembro de 2015 - 15:30

Quatro integrantes de uma quadrilha especializada em emitir documentos falsos para indígenas paraguaios e até criar índios “fantasmas” foram presos na manhã desta terça-feira (24) durante operação da Polícia Federal. Batizada de Coiote Kaiowá, a operação foi realizada em Amambai e Aral Moreira, cidades do Sul do Estado.

De acordo com a PF, o grupo confeccionava registros de nascimento falsos para índios que nasciam no país vizinho com objetivo de que eles se aposentassem no Brasil. O prejuízo causado pela quadrilha ao INSS é estimado em R$ 4 milhões.

O lucro do grupo era aumentado, segundo a investigação, com contratação de empréstimos consignados fraudulentos.

Para praticar os golpes, a quadrilha falsificava certidões de atividade rural da Fundação Nacional do Índio (Funai), o registro civil dos índios paraguaios e de cidadãos que não existiam, os fantasmas.

Durante a ação, segundo a PF, foram cumpridos quatro mandados de prisão preventiva e três mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federa. Entre os alvos da operação estão o casal proprietário de uma financeira especializada em créditos consignados, e um ex-capitão da Aldeia Guassuty. Documentos também foram apreendidos.