Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 30 de Novembro de 2021

Sidrolandia

EJA começa no Catarina ainda sem os alunos que estudam na Capital

Estes estudantes continuarão frequentando as aulas na Capital até o próximo dia 8 quando devem terminar um ciclo do ensino médio.

Flávio Paes/Região News

30 de Julho de 2013 - 09:00

As aulas do EJA (Ensino de Jovens e Adultos) foram iniciadas nesta segunda-feira  na Escola Estadual Catarina de Abreu com apenas uma turma de 20 alunos, quando foram disponibilizadas quatro salas com pelo menos 100 vagas.  Por enquanto, no grupo não estão os 90 alunos, que segundo a Prefeitura, estudam em Campo Grande e serão excluídos do transporte dos universitários.

Estes estudantes continuarão frequentando as aulas na Capital até o próximo dia 8 quando devem terminar um ciclo do ensino médio. A expectativa é que a partir daí, levem a documentação e se matriculem no Catarina, onde o EJA foi reaberto, dois anos depois de ser fechado, por solicitação do prefeito Ari Basso.

A exclusão destes alunos do transporte universitário (que custa R$ 333 mil por mês aos cofres públicos) permitirá retirar dois ônibus que fazem o trajeto de ida e volta de segunda a sexta-feira entre Sidrolândia e Campo Grande.

O EJA oferecido pelo Estado se diferencia do que é feito na Escola Padrão (que é um estabelecimento de ensino particular) pelos estudantes sidrolandenses. Na rede pública, o sistema é de eliminação por disciplina: o aluno estuda todo o conteúdo de cada matéria relativa aos três do ensino médio, faz prova e se obtiver média, a elimina.

Na rede privada, o estudante faz simultaneamente todas as matérias, como no ensino regular. Na rede pública o EJA pode durar 18 meses, na privada, é possível terminar em um ano, o que gera resistência por parte dos alunos que migram das escolas particulares. A reunião onde o sistema foi explicado atraiu só 19 estudantes.