Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 23 de Janeiro de 2021

Sidrolandia

Em 30 dias, Caixa deve autorizar licitação de 2 lotes das obras de revitalização do Anhandui em CG

Na terça-feira o prefeito Gilmar Olarte, acompanhado do secretário de Infraestrutura, Habitação e Transporte, Semy Ferraz, se reuniu com os técnicos da Caixa

Flávio Paes

21 de Agosto de 2014 - 15:36

A Caixa Econômica Federal deve autorizar dentro de 30 dias a licitação de dois lotes das obras de revitalização do Rio Anhanduí que tem custo orçado em R$ 26 milhões. Os lotes abrangem o trecho entre a Rua Santa Adélia (em frente ao Shopping Norte Sul), orçado em R$ 16.341.000,00 e a Rua Abolição e deste local até a Rua Bonsucesso, que deve custar R$ 9.732.000,00.

São os locais em situação mais crítica, onde as chuvas provocaram o desmoronamento das margens, com estreitamento de trechos da Avenida Ernesto Geisel e o estreitamento das pontes provoca transbordamentos.

Na terça-feira o prefeito Gilmar Olarte, acompanhado do secretário de Infraestrutura, Habitação e Transporte, Semy Ferraz, se reuniu com os técnicos da Superintendência Regional da Caixa Econômica. Ficou definido então  a licitação destes lotes para que as obras possam ser iniciadas antes do período de chuvas mais intensas em outubro.

Nestes dois trechos está prevista a recomposição das margens, com colocação de placas de concreto e implantação do sistema gabião. Sobre as pontes será feito a dragagem para aprofundar o leito do rio e com isto aumentar a velocidade da água. Hoje há um estreitamento do canal  nas proximidades das pontes o que acaba provocando transbordamentos. 

Reformulação

O projeto de revitalização e controle de enchentes do Anhahdui, incluindo além da a recomposição das margens do rio, o recapeamento das duas pistas da avenida Ernesto Geisel e no seu prolongamento, quando passa a ser denominada de Thyrson de Almeida.

São oito quilômetros de intervenção entre a rua Santa Adélia (em frente ao Shopping Norte Sul) e a avenida Campestre, no conjunto Aero Rancho. O custo do projeto foi recalculado em 53%, passando de R$ 47 milhões para R$ 67 milhões. Deste total, a Prefeitura já conta com R$ 40 milhões de recursos do orçamento da União. A Prefeitura terá de entrar com uma contrapartida de R$ 27 milhões em recursos próprios.