Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 23 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Em novembro exportações de Sidrolândia caíram 14% e acumulam US$ 72 milhões

As vendas de frango para o exterior por meio da Seara/Marfrig respondem por 92% das exportações de Sidrolândia

12 de Dezembro de 2010 - 15:59

Em novembro exportações de Sidrolândia caíram 14% e acumulam US$ 72 milhões
Em novembro exporta - Foto: Divulga

As exportações de Sidrolândia no mês passado caíram, mas no acumulado do ano já superaram as de 2009. Depois do desempenho recorde em outubro, quando a cidade  vendeu para o exterior US$ 12 milhões, incremento de 67% sobre setembro (que registrou US$ 7,6 milhões), o faturamento das exportações no mês passado caiu 14%, ficando em 10,6 milhões de dólares.

Se a base de comparação for novembro do ano passado, o cenário é bem diferente. Ao invés de redução, houve um aumento de 78% levando-se em conta que em igual período do ano passado, as exportações ficaram em US$ 5,7 milhões. No acumulado do ano o saldo também é favorável com aumento de 40%. Nos primeiros 11 meses de 2010 a/> cidade já contribuiu com US$ 72,2 milhões na balança comercial brasileira enquanto entre janeiro e novembro de 2009, os contratos fechados renderam US$ 51,4 milhões.

.

Segundo o balanço do Ministério do Desenvolvimento da Indústria e Comércio Exterior o faturamento das exportações de Sidrolândia de janeiro a novembro, já supera ao dos 12 meses do ano passado, quando alcançou US$ 56,9 milhões, mas não deve superar o desempenho de 2008, US$ 108 milhões, faturamento recorde desde que o levantamento começou a ser feito em 2003.

As vendas de frango para o exterior por meio da Seara/Marfrig respondem por 92% das exportações de Sidrolândia. É a 36ª maior empresa exportadora do Estado, tendo já vendido neste ano 27,9 mil toneladas, um volume 43% maior que o de igual período de 2009, quando as suas vendas para o exterior chegaram a  20,57 toneladas.

Em termos de divisas, estas vendas geraram US$ 66,6 milhões, ante US$ 46,6 milhões do ano passado.  O Japão (com US$ 31 milhões ) e a Holanda (U$ 11,5 milhões) são os principais compradores  com 58,91% das vendas. Este ano as exportações para o mercado japonês aumentaram 351%, passando de US$ 6,8 milhões para US$ 31 milhões.

Já as encomendas da Holanda caíram 42%, de US$ 20,10 para US$ 11,3 milhões.  As vendas de milho para o exterior renderam US$ 2,6 milhões e as de açúcar, US$ 1,4 milhão.