Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 25 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Em quatro polos agrícolas, prejuízo supera R$ 500 milhões

As prefeituras de São Gabriel do Oeste, Sidrolândia e Maracaju buscarão recursos estaduais e federais para a recuperação de estradas vicinais e pontes

O Estado

13 de Março de 2011 - 21:53

Em quatro polos agrícolas, prejuízo supera R$ 500 milhões
Em quatro polos agr - Foto: Marcos Tom

Produtores de quatro dos maiores polos agrícolas de Mato Grosso do Sul estimam prejuízo de R$ 500 milhões com a quebra média de 50% na produção de soja em função das chuvas que atingiram o estado nas últimas duas semanas, quando só 20% tinham sido colhidos.  As perdas frustraram a perspectiva de uma supersafra que se anunciava rentável por conta dos preços extremamente atraentes da oleaginosa no mercado internacional.  As prefeituras de São Gabriel do Oeste, Sidrolândia e Maracaju buscarão recursos estaduais e federais  para a recuperação de estradas vicinais e pontes destruídas pela força das águas.

Em São Gabriel do Oeste, onde a prefeitura decretou situação de emergência na última quinta-feira, com base em laudos técnicos, a estimativa é de  que a quebra  chegue a 50% da produção prevista, 2,5 milhões de sacas perdidas, o que significa R$ 100 milhões que deixarão de circular na economia do município, o dobro do orçamento municipal, fixado em R$ 50 milhões.  Segundo o prefeito Sérgio Marcon numa área de 68,4 mil hectares, que estavam prontos para a colheita,  os grãos acabaram germinando e apodrecendo nas vagens.

Com grande dependência agrícola, São Gabriel do Oeste deverá sentir o impacto dos prejuízos também em outras áreas, como o comércio, prestação de serviços e na arrecadação municipal. "Com a redução da movimentação econômica, o índice de participação do município no ICMS nos próximos anos cai", explica o prefeito Sérgio Marcon.

Os mais de 400 milímetros que caíram sobre a região nos últimos dez dias prejudicaram estradas e pontes na área rural. Dentre os prejuízos contabilizados está à queda da ponte sobre o rio Coxim, no trecho da rodovia MS - 429 que liga o posto Rosa à região do Jauru. Com a queda da estrutura, que foi levada pela forte correnteza, a linha do transporte escolar foi prejudicada, o que obrigou o município a transferir os alunos da região para uma escola em Coxim. Pecuaristas desta  área estão impedidos de transportar o gado pronto para abate nos frigoríficos.

O presidente do Sindicato Rural de São Gabriel do Oeste, Júlio Bortolini, esta foi à primeira vez na história sojícola do município que as perdas por ações climáticas foram tão elevadas. "Tivemos problemas com doenças em 1995 e com ferrugem asiática em 2008, mas nada se compara ao que está acontecendo agora".