Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 27 de Janeiro de 2021

Sidrolandia

Empregados em lotéricas de MS recorrem à justiça para garantir 10% de quebra de caixa

Estevão Rocha informou que as outras cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2014/15, já foram acertadas entre as duas classes.

Assessoria

12 de Fevereiro de 2014 - 13:19

Empregados em casas lotéricas de Mato Grosso do Sul entraram com dissídio coletivo contra a classe patronal, por intermédio de seu sindicato, o SEAAC/MS (Sidicato dos Empregados de Agentes Autônomos do Comércio e em Empresas de Assessoramento, Auditoria, Perícias, Informações e Pesquisas e de Empresas de Serviços Contábeis), porque não aceitam o limite de 5% para quebra de caixa proposto pela classe patronal, quando outras categorias, como bancários e caixas de supermercados, por exemplo, esse percentual é de 10%.

“Nós também queremos o limite de 10% para quebra de caixa. A categoria, em todo o Estado, por intermédio do SEAAC/MS, não abrirá mão desse percentual. Por isso recorremos à justiça para garantir esse direito ao trabalhador”, argumentou Estevão Rocha, presidente do sindicato.

Estevão Rocha informou que as outras cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2014/15, já foram acertadas entre as duas classes. Ele enalteceu o esforço do sindicato que conseguiu avançar inclusive no percentual de reajuste salarial em 8% linear.

Ou seja, esse percentual vai incidir tanto sobre os pisos salariais como para quem ganha acima do piso. “Conseguimos ganho real sobre os vencimentos dos trabalhadores em lotéricas de todo o Estado de Mato Grosso do Sul. Agora, para fecharmos a convenção, precisamos que a classe patronal use de bom senso e aprove o limite de 10% para quebra de caixa, como ocorre com outras profissões”, afirmou o sindicalista.