Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 21 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Escândalo envolvendo Prefeitura de Paranhos poderá gerar CPI na Câmara

Se preciso for instauraremos uma CPI para que a população conheça a verdade dos fatos,” afirma vereador Júlio

Redação

07 de Março de 2011 - 08:27

Os vereadores Júlio (PDT) e Orneis Fernandes (PRB) com o intuito de obter mais informações a cerca de noticiários que ganharam as páginas de diversos jornais impressos e eletrônicos nos últimos dias dando conta de uma possível irregularidade envolvendo as prefeituras de Paranhos e Sete Quedas e uma empresa fantasma, a qual fornecia mercadoria às duas administrações municipais.

O Promotor Público que esta respondendo pelo Ministério Público na Comarca de sete Quedas, Doutor Fabrício confirmou que o Ministério Público Estadual está de fato investigando supostas irregularidades nas transações da suposta empresa fantasma com as prefeituras, porém os procedimentos de investigação continuam e dentro de alguns dias será concluído e a partir daí todo cidadão terá acesso ao mesmo inclusive a Câmara poderá agir conforme convir.

No último dia 25, oficiais de Justiça, com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) e do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), deram cumprimento a mandados de busca e apreensão expedidos pelo Juíz da comarca de Sete Quedas, no município de Paranhos/MS.

Os mandados foram cumpridos com o intuito de instruir Procedimento de Investigação Criminal que apura, juntamente com Procedimento de Investigação Preliminar, a prática de crimes contra a administração pública e de falsidade, além de supostas irregularidades envolvendo compras diretas efetivadas pela Prefeitura de Paranhos e empresa fantasma que era utilizada pelo empresário alvo da operação.

Esses procedimentos indicam que, entre os anos de 2006 e 2009, a Prefeitura de Paranhos negociou diretamente com a empresa L. M. Jara Mercearia – ME valores superiores a R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais), sendo que referida empresa, inexistente, já figura como ré em ação civil pública por atos de improbidade administrativa em razão da participação em negociações irregulares com a Prefeitura de Sete Quedas.

No cumprimento dos mandados de busca e apreensão, foram encontrados, no estabelecimento comercial do empresário, documentos relativos às supostas negociações irregulares, os quais se encontram em poder da justiça em processo investigatório.

"Precisamos nos informar com o judiciário e dar uma resposta ao povo de Paranhos, e temos que se posicionar como representantes que somos, não podemos sermos omissos". Comentou o vereador Orneis.  
 
“Nossa intenção é de buscar esclarecimentos a respeito das denúncias vinculadas na imprensa regional, afinal trata-se de interesse público e nossa gente merece respeito e informações a cerca do que esta de fato acontecendo, claro que entendo que temos que ter muita cautela, não podemos atrapalhar o judiciário no exercício de sua função, porém quando o legislativo tiver que atuar neste caso, nós vereadores deveremos estar inteiramente dispostos a responder aos munícipes, para tanto devemos ter uma postura imparcial, responsável e transparente neste processo todo e agir conforme deve agir um legislativo municipal, com lisura e dignidade e se preciso for instaurar uma CPI para que a população conheça a verdade dos fatos.” Comentou o vereador Júlio.