Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 22 de Julho de 2024

Sidrolandia

Espanha vence graças a terceiro gol de Puyol em 89 jogos pela seleção

Para fazer o gol, jogador deu uma corrida de nove metros. Atingiu meros 17 km/h, pulou muito e enfiou os cabelos na jabulani.

Bom dia Brasil

08 de Julho de 2010 - 07:18

Uma vitória sofrida da Espanha, um golzinho, um herói: Puyol. Veja o gol que colocou a Espanha na final por vários ângulos.

Noventa minutos de jogo. Anos de carreira de um jogador. Muitos anos da história de um país. E, de repente, tudo se resume a três segundos.

Do contato do pé direito de Xavi com a bola ao contato da bola com a cabeça de Puyol, e daí ao contato triunfante com a rede. Três segundos valeram uma vaga para a Espanha na final. Três segundos acabaram com quatro anos de esforço da Alemanha.

No momento do escanteio, o goleiro Neuer nem imaginava de onde viria o perigo. O artilheiro Villa estava perto, ele tratou de expulsá-lo. Mas o problema estava longe. Enquanto a bola viajava, e os olhos do estádio inteiro tentavam adivinhar seu destino, era difícil perceber o homem do gol.

A bola estava na cabeça do Piqué. O Piqué, certamente, demorou a entender como não havia cabeceado essa bola. Puyol estava sozinho. Deu uma corrida de nove metros. Atingiu meros 17 km/h, pulou muito e enfiou os cabelos na jabulani.

Ele já havia jogado 88 partidas pela Espanha e marcado apenas dois gols. No jogo 89, o terceiro gol. O mais importante da vida, o mais importante do país.

Com um resultado imediato sobre duas nações. A alegria da Espanha simbolizada no abraço do time inteiro. Só faltou o goleiro, que estava muito longe.

A tristeza da Alemanha era visível, três segundos estragaram uma infinidade de sonhos.

O gol de Puyol determinou que a Copa do Mundo vai ter um novo campeão em uma copa disputada em um novo continente. No domingo (11), Espanha e Holanda estarão no Soccer City, onde se espera um novo lance, talvez de poucos segundos, para decidir a Copa de 2010.