Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 28 de Novembro de 2021

Sidrolandia

Estado deve recuperar até o fim do mês rodovia que liga Sidrolândia a BR-163

Caminhões, retroescavadeiras, motoniveladoras e rolos compressores estão sendo utilizados no serviço de encascalhamento

Flávio Paes/Região News

05 de Maio de 2011 - 20:44

Até o fim do mês de maio a Secretaria Estadual de Obras Públicas espera concluir as obras de recuperação da MS-258, estrada Izidro Silveira Nantes que liga a MS-06,0 em Sidrolândia,  passando pelos assentamentos Eldorado. Alambari, Capão Seco, a BR-163, na altura do Distrito de Anhandui.

Caminhões, retroescavadeiras,  motoniveladoras e rolos compressores estão sendo utilizados no serviço  de encascalhamento, recuperação do revestimento primário que ficou danificado pelas chuvas registradas no Estado entre fevereiro e março.

As condições de tráfego ficaram tão precárias em alguns trechos que houve comprometimento do transporte escolar, isolamento das mais de 2 mil famílias de pequenos agricultores que dependem da estrada para  se deslocar até a cidade, além de afetar o escoamento da produção agrícola, leiteira e de frangos.

A Rodovia Izidro Silveira  Nantes, que recebeu esta denominação numa homenagem ao ex-prefeito de Sidrolândia, é uma alternativa que encurta em mais de 50 quilômetros as viagens para cidades como Nova Alvorada do Sul e Rio Brilhante e municípios da região sul do estado.

A MS-258 é uma das 19 frentes de trabalho iniciadas onde a Secretaria Estadual de Obras faz  a recuperação dos serviços de revestimentos primários das rodovias estaduais não pavimentadas que foram afetadas pelas fortes chuvas e inundações do início deste ano, que causaram erosão e dificultaram acessos e principalmente o escoamento da produção.

Já foram recuperadas 25% das rodovias num trabalho que deve terminar no fim do mês de maio. Os serviços estão sendo realizados com os recursos da ordem de R$ 5 milhões que foram liberados pelo Ministério da Integração Nacional, após pedidos do governador André Puccinelli durante a visita do ministro Fernando Bezerra, no mês de março, em Campo Grande.

“Os revestimentos primários estão sendo feitos de acordo com o Plano de Trabalho entregue ao ministro, em que priorizamos aquelas estradas estaduais não pavimentadas utilizadas para o escoamento da safra”, explicou Wilson Cabral.

De acordo com o titular da Seop, os serviços que vão deixar as estradas compactadas e cascalhadas estão sendo realizados simultaneamente nas 19 rodovias que abrangem diversos municípios do Estado. “Contamos com caminhões, retroescavadeiras, rolo compactador, motoniveladoras e um total de 600 trabalhadores nestas 19 frentes que estão recuperando as estradas de domingo a domingo”, informou.

O secretário estadual de Obras disse ainda que as equipes da Seop, antes mesmo de os recursos chegarem de Brasília, já estavam atuando nas obras emergenciais realizando desvios ou até desatolando caminhões nas rodovias estaduais para ajudar no escoamento da safra.

“Ninguém deixou de escoar sua safra nas estradas estaduais”, garantiu. Conforme Wilson Cabral, além das 19 frentes de trabalho a Seop continua com as equipes de trabalhadores das 17 regionais da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul), ligada à Secretaria de Obras do Estado.

“As equipes continuam com os serviços de patrolamento e cascalhamento nos 12 mil quilômetros de rodovias não pavimentadas e realizando os serviços de tapa-buracos nos quatro mil quilômetros de estradas pavimentadas”, salientou.

Foto: Marcos Tomé/Região News

estrada

Estado deve recuperar até o fim do mês rodovia que liga Sidrolândia a BR-163

Recuperação

As rodovias que estão sendo recuperadas são: MS-324-A entre MS 245 e BR 060; MS-425 entre MS 306 e BR 060 em Chapadão do Sul; MS 324-B entre MS-422 e BR-060 Água Clara; MS-162 entre MS-270 e BR 267 Maracajú; na MS-156 entre MS-378 e BR-163 Dourados; MS-466 entre MS-455 e BR-163; MS-462 entre MS-164 e BR-267; MS-455 entre MS-466 e BR 267 Maracajú; MS-465 entre MS-145 e BR-163 Em Rio Brilhante; MS-267 entre MS-458 e BR 267 região de Jardim e Porto Murtinho; MS-379 entre MS-380 e MS-386 Laguna Caarapa; MS-258 entre MS-060 e BR-163 Capão Seco; MS-380 entre MS-463 e MS-156 Laguna Caarapa; MS-270 e MS-156 e MS-162 Dourados; MS-145 entre MS-141 e MS-283 Naviraí; MS-274 entre MS-276 e MS-145 Dourados; MS-278 entre MS-376 e BR-163 Fátima do Sul; MS-378 entre MS-463 e BR 163 Caarapó;  MS-280 entre MS-463 e MS-156.

Pontes

A Seop está aguardando a ordem bancária no valor de R$ 16 milhões do total de R$ 30 milhões já empenhados pelo Ministério da Integração Nacional que corresponde a aproximadamente o que foi estimado nos levantamentos de danos para restaurar 37 pontes de madeira que ficaram destruídas pela força das águas.

Segundo Wilson Cabral, assim que os recursos forem liberados os serviços para a reconstrução das pontes já começam. “Estamos preparados para dar o início dos trabalhos e de imediato vamos dar prioridade àquelas pontes que caíram como, por exemplo, sobre o Rio Aquidauana, Rio Coxim e Rio Barreiro. Enquanto as pontes não são reconstruídas estamos fazendo desvios”, comentou.

Cada regional verificou os prejuízos nas pontes e nas estradas e enviou fotografias, relatórios e planilhas. Um levantamento que contém mapas de localização, o custo da recuperação, entre outros dados, sobre cada ponte, foi enviado à Defesa Civil Estadual para compor o processo de solicitação dos recursos.

Do conjunto de pontes afetadas, quatro foram totalmente destruídas causando o isolamento de comunidades: a ponte sobre o rio Aquidauana no km 0,5 da MS-450, próximo ao Distrito de Piraputanga; a ponte sobre o rio Barreiro, no km 7 da MS-483, na região de Paranaíba; a ponte sobre o rio Coxim, no km 98,6 da MS-142, em Coxim e a ponte sobre o córrego Alegria, no km 21 da MS-423, também no município de Coxim.