Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 25 de Janeiro de 2022

Sidrolandia

Ex-prefeito de Guia Lopes acusado de improbidade pede absolvição ao TJ

O Ministério Público alegou ainda que enquanto prefeito cometeu diversos atos que caracterizaram quebra de decoro

Midiamax

17 de Maio de 2011 - 13:12

O ex-prefeito de Guia Lopes da Laguna, Carlos Roberto Savari de Souza, condenado por improbidade administrativa recorreu ao TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) em busca de absolvição.

Segundo os autos processuais, ele fez uso de um veículo público para deslocar-se até a cidade de Bela Vista para visitar sua propriedade rural localizada em território paraguaio, além de aquisição de materiais com notas fiscais advindas de “empresas fantasmas”, compra de veículos superfaturados e ilegalidades na licitação para a locação de veículo para transporte escolar.

O Ministério Público alegou ainda que enquanto prefeito cometeu diversos atos que caracterizaram quebra de decoro.

Conforme o MPE, ele agrediu seu motorista em público em Maracaju; tentou incendiar um circo que se apresentava na cidade de Jardim e arremessou uma lata de cerveja em um palhaço; invadiu a residência da vice-prefeita de Guia Lopes da Laguna e pescou um jacaré em afronta à legislação penal ambiental. Ao todo, são seis processos criminais em tramitação em seu desfavor.

O ex-prefeito também é acusado de ter destruído “Relatório de Plantão” de um hospital, após realizar uma cirurgia contrariando instruções do Conselho Federal de Enfermagem, além de proferir ameaças e ofensas pessoais, inclusive de cunho racista, contra as auxiliares de enfermagem. O ex-prefeito foi condenado a ressarcir aos cofres públicos os prejuízos causados com a prática de atos de improbidade; pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano causado; ressarcimento de danos morais causados à sociedade no valor de cem salários mínimos; a suspensão de seus direitos políticos por oito anos e a proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de três anos.