Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 24 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Fechamento de salas de aula de escolas estaduais causa transtorno aos pais de alunos

Até o dia 21 de janeiro de 2013 o Governo do Estado publicará, em Diário Oficial, a relação dos profissionais removidos por unidade escolar e por município.

Midiamax

12 de Dezembro de 2012 - 07:40

A decisão do Governo do Estado de remanejar alunos das escolas estaduais, devido ao baixo número de estudantes em salas de aula e a adequação entre adolescentes e crianças, está causando transtornos a pais de alunos.

Segundo Sandra Regina de Jesus – presidente do colegiado da escola Teotonio Vilela, no bairro Universitária II, a SED tem que se adequar a uma determinação do Governo Federal que dá o prazo até 2016 para que apenas as escolas municipais tenham ensino fundamental e as estaduais fiquem responsáveis pelo ensino médio.

A Secretaria de Estado de Educação (SED) divulgou que o remanejamento é guiado pela demanda e cita como exemplo, a escola Irmã Bartira no Arnaldo Estevão de Figueiredo, onde as turmas eram pequenas, assim como a procura por vagas. Com isso, as séries passaram a ser oferecidas apenas no turno matutino e parte dos alunos remanejada para a escola Carlos Henrique Schrader, no Jardim Flamboyant.

“Ter pelo menos 25 alunos por sala faz com que os gastos mensais diminuam em determinados colégios para permitir investimentos em outros. Não há sentido em se manter, por exemplo, três turmas de 18 alunos, quando podemos ter duas de 27 sem perder a qualidade de ensino”, explicou a superintendente de políticas para a atenção básica da rede estadual de ensino, Cheila Cristina Vendrami.

O problema da decisão, porém, afeta muitas vezes o ensino fundamental, onde as crianças, levadas pelos pais, que estão com seus horários de rotina fixados, e, por conta da mudança, podem ser prejudicados. <

Sandra explica que não há escolas municipais na região e que o fechamento de 11 salas na escola provocaria um grande transtorno. “Nossa escola tem mais de 800 alunos. Esperamos que a SED não feche esse número de salas, feche duas ou três e permita um tempo maior para os pais se adequarem.”

FETEMS

Conforme a FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação do Mato Grosso do Sul), o remanejamento de alunos é necessário para se adequar a realidade das escolas, pois a Secretaria tem recebido denúncias de assédio entre adolescentes e crianças, porém a SED não está dialogando com a comunidade escolar.

“Em casos como o da escola Teotônio Vilela a escola mais próxima para o ensino fundamental fica a cerca de sete quilômetros. Como uma família vai permitir que uma criança de seis anos vá para escola caso os pais não tenham como acompanhá-la?”, questiona o presidente da entidade Roberto Magno Botareli Cesar.

Ele explica ainda que a entidade conversou com o governo e que nenhum professor será prejudicado com o remanejamento. “Realmente é necessário fazer ajustes de conduta entre crianças e adolescentes, contudo a forma que está sendo feita é equivocada, pois não estão ouvindo os pais.”.

Uma assembleia às 19h desta terça-feira irá discutir sobre o fechamento das salas de aula, na escola Teotônio Vilela. A Federação recomenda que a comunidade escolar se mobilize e procure a entidade para negociar junto à Secretaria de Educação.

Remoção de Professores

Foi publicado no Diário Oficial do dia 28 de novembro, o edital do Concurso de Remoção para os professores do Estado.

A remoção promove o deslocamento dos Profissionais da Educação Básica entre escolas, municípios e jurisdições da Rede Estadual de Ensino, organizando a situação funcional dos servidores efetivos em unidades escolares que apresentem vagas.

Até o dia 21 de janeiro de 2013 o Governo do Estado publicará, em Diário Oficial, a relação dos profissionais removidos por unidade escolar e por município.

A realização do processo de remoção a pedido, no ano de 2012, dos Profissionais da Educação Básica, ocupantes do cargo de Professor, na função de docente, e do cargo de Especialista de Educação, deverá observar as normas e procedimentos estabelecidos na resolução e no Edital n. 25/2012, publicados no Diário Oficial.