Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 21 de Outubro de 2021

Sidrolandia

FETEMS participa da marcha dos milhares da classe trabalhadora de Mato Grosso do Sul

Trabalhadores em educação de todo o estado estiveram presentes somando as outras categorias e lutando pelos direitos dos trabalhadores brasileiros (as).

Assessoria

11 de Julho de 2013 - 17:40

As principais ruas da capital morena, Campo Grande, foram tomadas por um mar de bandeiras dos movimentos sociais e sindicais de Mato Grosso do Sul, no manifesto da classe trabalhadora, na manhã desta quinta-feira (11). A FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) participou em peso e levou para a marcha cerca de 10 mil trabalhadores em educação de todo o estado, organizados pelos SIMTED’s (Sindicatos Municipais dos Trabalhadores em Educação) filiados a Federação.

A educação pública de MS foi para as ruas com várias bandeiras de luta como os 10% do PIB (Produto Interno Bruto) para a educação, pela aprovação do PNE (Plano Nacional de Educação), pela valorização profissional, por mais infraestrutura nas escolas públicas, pela destinação dos royalties do petróleo para a educação, pela Lei do Piso Salarial Nacional e por 1/3 de hora-atividade para o planejamento de aulas.

De acordo com o presidente da FETEMS, Roberto Magno Botareli Cesar, os trabalhadores brasileiros se organizaram e mostraram para toda a sociedade, para os poderes constituídos, que a classe trabalhadora que sempre esteve nas ruas deste país continuará lutando pelos seus direitos. “Quem disse que a classe trabalhadora deste país não teria coragem de sair às ruas mostrando que tem lado, que tem bandeira, comprovamos o contrário, provamos que a democracia venceu no nosso Brasil. Hoje em Mato Grosso do Sul mais de 20 mil trabalhadores, trabalhadoras, povo do campo, da cidade, indígenas, estudantes, tomaram as principais ruas da capital morena e mostraram a nossa força, nosso valor e que quem sempre esteve nas ruas, sempre estará”, afirma.

Para a vice-presidenta da Internacional da Educação e secretária relações internacionais da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), Fátima Silva, que é sul-mato-grossense, ex-presidenta da FETEMS e esteve na mobilização em CG, o movimento de MS com certeza foi um dos maiores do Brasil e mostra a força do movimento sindical do estado. “O nosso Mato Grosso do Sul mais uma vez faz bonito nacionalmente, os nossos movimentos sociais, sindicais, as centrais que representam os trabalhadores, mostraram para o Brasil que o trabalhador é organizado, é de luta e que principalmente respeita e conhece o trabalho e a representatividade das entidades. O movimento foi lindo e com certeza pautou as nossas reivindicações”, disse.

Segundo o presidente da CUT/MS (Central Única dos Trabalhadores de Mato Grosso do Sul), central que a FETEMS é filiada, o movimento superou as expectativas no estado. “Nós estávamos pensando que haveria cerca de 15 mil pessoas nas ruas hoje e já temos as estimativas que as forças policiais calculam cerca de 20 a 30 mil, com certeza superamos as nossas expectativas e conseguimos mostrar para toda a sociedade que a unidade da classe trabalhadora é capaz de sair as ruas e lutar pelos nossos direitos sempre. Agora queremos que o Congresso Nacional ouça as vozes das ruas e coloque em pauta as nossas reivindicações”, ressalta.

Além das pautas da educação citadas acima os trabalhadores de diversas categorias também reivindicaram pela Redução da Jornada de Trabalho para 40h semanais, sem redução de salários; Fim do fator previdenciário; 10% do Orçamento da União para a Saúde; Transporte público e de qualidade; Valorização das Aposentadorias; Reforma Agrária; Retomada das Terras Indígenas; Suspensão dos Leilões de Petróleo; Contra o PL 4330, sobre Terceirização; Pela Democratização da Comunicação e pela Reforma Política.