Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 25 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Fetricom MS pode ter segurança da Polícia Federal para eleição

Membros da Força Sindical Nacional, o ex-ministro Antônio Rogério Magri e Hugo Peres estão em Campo Grande, para dar todo apoio à Chapa 2, de Alex Lima.

Wilson Aquino

03 de Fevereiro de 2014 - 17:00

Mentiras, trapaças e ameaças, de sequestro inclusive, giram em torno do processo eleitoral da Fetricom/MS – Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Mato Grosso do Sul, cuja eleição será na próxima sexta-feira (7). De um lado, o atual presidente, Webergton Sudário da Silva, vulgo Corumbá, apoiado pela CUT, candidato à reeleição, que procura impedir um processo eleitoral democrático, sonegando documentos e ameaçando trabalhadores, lideranças sindicais e até empresários em vários municípios do Estado.

Do outro lado está Alex Lima de Albuquerque, membro da Chapa 2 “Renovação e Progresso”, que já recorreu ao Ministério Público do Trabalho para garantir seus direitos nesse processo eleitoral e para denunciar as irregularidades cometidas por “Corumbá”. A chapa 2 é apoiada pela Força Sindical.

Membros da Força Sindical Nacional, o ex-ministro Antônio Rogério Magri e Hugo Peres estão em Campo Grande, para dar todo apoio à Chapa 2, de Alex Lima. Eles deverão recorrer à Polícia Federal para garantir que os sindicalista sejam deslocados de suas cidades do interior de MS para a Capital, no dia da eleição, na próxima sexta-feira. “Soubemos que Corumbá está jogando sujo, ameaçando lideranças sindicais, inclusive de sequestro, para tentar impedí-los de votar contra a diretoria que está na direção da Fetricom/MS”, afirmou Hugo Peres.

O membro da Força Sindical nacional afirmou ainda que “A Força Sindical não pactua com esse tipo de procedimento antidemocrático e, acreditamos, que nem mesmo a CUT nacional apoia esse tipo de procedimento. Acreditamos que eles sequer saibam o que está se passando aqui em Mato Grosso do Sul”, afirmou Hugo Peres. O presidente regional da Força, Idelmar da Mota Lima, também exige lisura no processo eleitoral da Fetricom/MS.

Adauto Cândido de Almeida, diretor da Força Sindical Regional Mato Grosso do Sul está acompanhando diretamente esse processo eleitoral da Fetricom e ele confirma as irregularidades e dificuldades impostas por “Corumbá”. “Vamos fazer prevalecer a democracia. Se necessário for irmos para o embate para conquistarmos o direito de participarmos desse processo eleitoral, iremos. A eleição na sexta-feira vai acontecer em Campo Grande no período das 7h às 15h.