Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 17 de Janeiro de 2021

Sidrolandia

Fim da gratuidade: prefeito vai repassar R$ 77 mil por mês e transporte na zona rural dependerá de demanda

O valor corresponde a 48,66% da dotação prevista no orçamento de 2014 que foi fixada em R$ 1,5 milhão.

Flávio Paes/Região News

24 de Janeiro de 2014 - 21:29

Agora é oficial: acabou a gratuidade do transporte universitário, programa da Prefeitura de Sidrolândia criado em 2005 mantido por 9 anos. Reunido na tarde desta sexta-feira com integrantes da União dos Estudantes de Sidrolândia, o prefeito Ari Basso assumiu o compromisso de repassar este ano, R$ 770 mil como subvenção para bancar o serviço.


O valor corresponde a 48,66% da dotação prevista no orçamento de 2014 que foi fixada em R$ 1,5 milhão. Se comparado com o valor total do serviço (com base no valor gasto em 2013) equivale a 28,32% do custo total. O transporte fica garantido da praça central até Campo Grande ou Maracaju, enquanto na zona rural, só haverá linhas onde de fato haja um número suficiente de alunos para  justificar o deslocamento de um ônibus ou micro-ônibus, com capacidade para 50 ou 30 passageiros.


Se fosse mantido o número de linhas que existia até 2013, quando o transporte custaria R$ 333 mil, um custo médio de R$ 324,66 por aluno, valor considerado inviável porque corresponderia a  70% da mensalidade de alguns cursos. Pelas contas da entidade estudantil, a até o inicio do segundo semestre de 2013 era oferecido a 900 alunos, em 2014 atenderá aproximadamente 600.


Esta demanda de passageiros exige o fretamento de 12 ônibus (considerando apenas a frota que sai da praça). O custo médio por ônibus é de R$ 15  mil por mês, gerando uma despesa total de R$ 180 mil. Nesta conta, ressalta-se, que não estão computados os gastos do transporte entre a zona rural e o centro da cidade.



A presidente da União Estudantil de Sidrolândia, Letícia Martinelli (foto), prefere não especular qual o montante será rateado entre os estudantes, depois de descontada da despesa total os R$ 77 mil assegurados pela da Prefeitura. Esta conta só será fechada depois de concluído o cadastramento que será feito a partir de segunda-feira no antigo Departamento Municipal de Trânsito, na Rua Santa Catarina, proximidades do Banco do Brasil.


Dependerá ainda da frota a ser fretada que dependerá da quantidade de associados à entidade. Só terá direito ao transporte, quem se cadastrar. No caso da zona rural, Leticia explica que serão criadas linhas em pontos determinados onde se concentrem um número de alunos suficiente para lotar um ônibus ou micro-ônibus.  


Quem mora, por exemplo, nos assentamentos Capão Bonito I, II e São Pedro, terá de se deslocar do seu lote até o núcleo urbano do Capão Bonito onde haverá o ponto de embarque e desembarque. O mesmo critério será aplicado no Eldorado, que tem no seu entorno uma série de núcleos. O ponto de partida e chegada do transporte será a sede do assentamento