Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 26 de Novembro de 2021

Sidrolandia

Foco do governo na duplicação da BR-163 vai garantir a obra, avalia Moka

Com foto apenas na BR-163, segundo Moka, o governo federal torna a concessão muito mais atraente

Campo Grande News

09 de Agosto de 2013 - 15:35

O senador Waldemir Moka (PMDB) considera benéfica para a viabilização da obra a decisão do Ministério dos Transportes de manter a privatização da BR-163 e excluir os trechos da BR-262, entre Campo Grande e Três Lagoas, e da BR-267, entre Nova Alvorada do Sul e São Paulo. “Nesse modelo de concessão onerosa, as outras duas rodovias não geraram interesse das empresas”, argumentou o parlamentar sul-mato-grossense.

Com foto apenas na BR-163, segundo Moka, o governo federal torna a concessão muito mais atraente. “Agora sim, vamos ter a duplicação da BR-163”, comemorou, explicando que as outras duas BRs não têm atratividade no formato de concessão onerosa. “Não dá retorno”, disse.

A intenção do governo federal era de incluir no programa de duplicação as outras duas BRs que cortam Mato Grosso do Sul, 262 e 267, tendo em vista o grande interesse que naturalmente seria despertado no empresariado pela BR-163. “Mas as empresas disseram que superestimaram as outras duas BRs. Em função da repercussão, da falta de procura, o governo resolveu retirar as outras duas. Com isso, a 163 vai ter disputa, já que é uma rodovia que tem tráfego muito grande e retorno de investimento”, explicou.

Indagado sobre como ficará a situação das BRs 262 e 267, quanto à histórica reivindicação de duplicação, Moka disse que agora depende de o governo federal prever verbas no Orçamento da União. “Claro que a bancada federal vai continuar reivindicando a duplicação das duas rodovias, porque faz parte da infraestrutura de Mato Grosso do Sul e são obras importantes e necessárias”, declarou o senador.