Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 25 de Janeiro de 2021

Sidrolandia

Fronteiras com o Paraguai e Bolívia continuam escancaradas ao tráfico

De janeiro a julho deste ano foram apreendidas no Estado cerca de 211 toneladas de maconha, mas a maior parte foi barrada já em áreas distantes da faixa de fronteira.

Correio do Estado

02 de Setembro de 2014 - 08:44

Sem a presença eficiente da Polícia Federal, as faixas de fronteira com o Paraguai e Bolívia tornaram-se verdadeiras portas escancaradas ao tráfico de drogas e armas, bem como à passagem de contrabando.

Diante disso, ilícitos que poderiam ser barrados ainda na fronteira acabam entrando facilmente no País, o que transfere para outros organismos policiais, já dentro dos estados, possíveis interceptações. Apesar do problema, não há, por parte da PF, nenhuma estratégia para mudar esse quadro, mesmo tendo delegacias em Ponta Porã e Corumbá.

Antes uma superintendência que se caracterizava pela forte mobilização no combate ao tráfico ainda nas fronteiras, hoje a regional da Federal do Mato Grosso do Sul não tem demonstrado o mesmo perfil. Isso acaba deixando a população à mercê da criminalidade, gerando insatisfações e protestos, como os que ocorreram no mês passado, em Ponta Porã, quando moradores da localidade cobraram redução dos índices de violência.

De janeiro a julho deste ano foram apreendidas no Estado cerca de 211 toneladas de maconha, mas a maior parte foi barrada já em áreas distantes da faixa de fronteira.