Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 1 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Funcionários prometem lotar Câmara para definir proposta de reajuste salarial

Em pauta a definição das reivindicações salariais da categoria que tem como data base o mês de maio.

Flavio Paes /Região News

13 de Agosto de 2013 - 13:25

O Sindicato dos  Servidores Municipais de Sidrolândia espera lotar nesta quarta-feira o plenário da Câmara Municipal, onde programou uma assembléia geral com primeira chamada às 17h30. Em pauta  a definição das reivindicações  salariais da categoria que tem como data base o mês de maio. 

O presidente do Sindicato, Idemar  Marcos dos Santos, não antecipa o que vai propor aos colegas, mas defende como ponto de partida das negociações com o Executivo, a concessão de um reajuste salarial pelo menos igual a inflação a acumulada nos últimos dois anos,  que corresponderia a 11,81%, o equivalente ao IPCA/IBGE  do período. O reajuste  seria retroativo a maio, que é data-base fixada por lei

 O Sindicalista  alega que em 2012, com o plano de cargos e carreiras implantado pelo ex-prefeito Daltro Fiuza, não houve reajuste  e boa parte dos funcionários com menores vencimentos (garis, auxiliar de serviços gerais, vigias)  ficaram sem nenhum benefício salarial, mesmo após o processo de enquadramento.

Idemar, embora pessoalmente tenha apoiado a candidatura do prefeito Ari  Basso, na eleição suplementar, defende a concessão de reajuste para o funcionalismo mesmo diante das atuais dificuldades financeiras enfrentadas pela Prefeitura. “”É um direito do servidor que precisa no mínimo ter seu poder de compra recuperado”, avalia o sindicalista. Ele lembra que a data-base do funcionalismo  foi fixada pela lei complementar 19, sancionada em 15 de outubro de 2004 pelo então prefeito Enelvo Felini,  logo  após Daltro Fiuza ter vencido a eleição para assumir o comando do Executivo em 1º de janeiro de 2005.

Divisão

Enquanto  o Sindicato dos Servidores organiza  esta assembleia de amanhã, um grupo de 60 funcionários das Secretarias de Serviços Urbanos e Infraestrutura encaminhou ao Executivo oficio em que detalha suas reivindicações. Estes servidores pede reajuste de 10%, restabelecimento do pagamento de insalubridade, periculosidade, além das horas-extras referentes aos meses de março a julho, devidas a 20 funcionários que atuam na manutenção das estradas vicinais.  As “extras”  devem garantir em média R$ 300,00 por mês, referente a duas horas extras (a R$ 7,00).