Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 21 de Janeiro de 2021

Sidrolandia

Gays e travestis vão protestar contra vereador que sugeriu ilha ao grupo

O vereador propôs ainda enviar homossexuais a uma ilha por 50 anos como teste para provar que eles não se "proliferariam"

Ponta Porã Informa

17 de Setembro de 2014 - 13:57

A população LGBTT (Lésbicas Gays Bissexuais Travestis e Transexuais), está organizando um ato para amanhã (17) em protesto às declarações do vereador Pastor Sergio Nogueira (PSB), que durante a sessão de segunda-feira (15) afirmou que as discussões em favor do homossexualismo e combate a homofobia contribui para a “desconstrução” da família. O vereador propôs ainda enviar homossexuais a uma ilha por 50 anos como teste para provar que eles não se "proliferariam".

De acordo com a diretora executiva da Associação de Gays, Lésbicas e Transgêneros de Dourados, Claudia da Rosa de Assumpção, as declarações do vereador causaram indignação em toda a população LGBTT de Dourados e de todo o Estado. Segundo ela, é “inadmissível” que em meio as discussões envolvendo o combate a homofobia existam posicionamentos como os apresentado pelo parlamentar.

“Estamos em meio a discussões contra a homofobia e não podemos compactuar com esse tipo de declarações ainda mais de um agente público, que é responsável pela construção da defesa e do bem estar da sociedade”, ponderou.

Segundo Cláudia, ao menos 5 mil pessoas estão sendo esperadas para participar do ato que pretende marchar pelas principais ruas de Dourados.

“Precisamos mostrar nossa indignação. Não é nem contra o vereador, e sim contra a posição dele que é semelhante à de muitas pessoas”, disse.

Cláudia ressalta que as declarações do parlamentar só contribuem para denegrir o trabalhos que estão sendo realizados para combater a violência contra homossexuais e, principalmente, travestis e transexuais que são discriminados dentro da escola.

“Essa semana estamos discutindo o combate a violência contra travestis e transexuais que são as principais vitimas, principalmente nas escolas. E essas declarações não contribuem nada para acabar com isso”, disse.

Conforme Cláudia, ela deve se reunir ainda hoje com o vereador Sergio Nogueira para debater as declarações feitas por ele. Apesar da conversa, Claudia disse que o manifesto será mantido.