Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 18 de Agosto de 2022

Sidrolandia

Grupo de assentados pede apoio dos vereadores e vai ao Incra reivindicar posse de agrovila do Eldorado

O grupo, acompanhado de quatro vereadores, deve ir a Campo Grande nesta terça-feira para se reunir na superintendência regional do Incra.

Flávio Paes/Região News

25 de Agosto de 2015 - 09:20

Integrantes da Comissão Provisória da Agrovila “Cidade Viva” que reivindica a posse dos 60 hectares reservados para se transformar no núcleo urbano do Assentamento Eldorado, esteve nesta segunda-feira na Câmara Municipal para reivindicar apoio dos vereadores. O grupo, acompanhado de quatro vereadores, deve ir a Campo Grande nesta terça-feira para se reunir na superintendência regional do Incra, que  semana passada começou a notificar as famílias para deixarem a área que passaram a ocupar desde o último dia 17.

Os assentados se insurgiram contra a orientação do Sindicato dos Trabalhadores Rurais que chegou a enviar 30 famílias acampadas para área, com a pretensão de dividir a gleba em chácaras de 2 hectares. “Nosso interesse é que o núcleo seja reservado aos filhos ou agregados dos assentados residentes há mais de um ano no Eldorado”, informa o presidente da Comissão, Claudio Moreira.

Grupo de assentados pede apoio dos vereadores e vai ao Incra reivindicar posse de agrovila do EldoradoClaudio iniciou a construção, no terreno que ocupou, do salão onde pretende instalar sua borracharia que há sete anos mantém num lote alugado no Capão Seco. Outro assentado iniciou a construção do salão onde pretende abrir um depósito de material de construção. De acordo com Cláudio, embora mais de 800 pessoas estejam na área, metade não deve passar nos critérios definidos pela família na fundação da Comissão.

“Não vamos aceitar que uma mesma família (o marido e a mulher) tenha mais de um terreno”, exemplifica. Ele acredita que 20 famílias acampadas ainda remanescentes na área, possam vir a ser beneficiadas com um dos 512 lotes de 12 x 30 em que a agrovila será dividida, conforme propõem os assentados.

“Queremos que o Incra entregue à área à Prefeitura para a situação ser regularizada”, comenta o líder das famílias. A comissão entregou ofício aos vereadores com as seguintes reivindicações:    

1- Que seja reconhecida como organizadora da implantação do núcleo residência Agrovila, localizado no Assentamento Alambari-CUT a Associação Cidade Viva;

2 – Que o município agilize, juntamente ao INCRA, o recebimento das áreas destinadas a Agrovila em toda sua extensão para através de termo de permissão de uso com regras claras e rígidas, ser concedida aos cadastrados pela entidade organizadora denominada Cidade Viva;

3 – Que no parcelamento da área destinada a Agrovila seja adotada as providências para que a mesma obedeça ao mapa elaborado em 2008, que tem aprovação da comunidade como loteamento ideal da Agrovila;

4 – Que seja determinada a imediata retirada dos ocupantes de áreas institucionais, destinadas aos equipamentos públicos, baseados na planta existente elaborada em 2008.