Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 1 de Dezembro de 2020

Sidrolandia

Grupo de WhatsApp perde 156 quilos juntos e convertem peso do passado em doação

24 integrantes participaram do grupo chamado de "Projeto Saboneteiras RA"

Campo Grande News

04 de Agosto de 2014 - 09:20

Os sorrisos denunciavam a alegria de que chegou o grande dia. A ansiedade era para doar, de vez, os quilos que a balança marcou no passado. No último domingo, os 24 integrantes do grupo "Projeto Saboneteiras RA" se conheceram pessoalmente. No piquenique, realizado no Parque das Nações Indígenas, eles inauguraram uma nova fase do programa, foram das mensagens trocadas via WhatsApp para o diálogo acompanhado de beijos e abraços. Juntos, eles perderam 156 quilos e 100 gramas através da reeducação alimentar e transformaram os números em doação de alimentos não perecíveis para o Hospital do Câncer.

Sentados em círculos, as sacolas rosas com os nomes escritos à caneta, guardavam o sinal de vitória. Ninguém escondia o quanto pesou no passado e o que ainda quer doar. Aliás é preciso pontuar logo de início que a transformação que eles escolheram vivenciar para uma vida mais saudável e consequentemente com menos quilos, mudou a cabeça, o emocional e também o vocabulário. Os quilos deles não são perdidos e muito menos eliminados. São doados, de coração, corpo e alma, para quem mais precisa. 

"Que bom que eu não estou perdendo, eu estou doando. Quando a gente transforma quilos em doação de amor, estamos devolvendo a eles, de alguma forma, inúmeros sentimentos, para aqueles que precisam se restabelecer". As frases são de Rosankely Romero Netto, de 35 anos. Bióloga e escritora por profissão e saboneteira por determinação, ela é uma das organizadoras do grupo e também do encontro. Portadora de esclerose, em 82 dias de projeto, ela perdeu 10 quilos, mesmo fazendo uso de medicamentos a base de corticoide, que controlam a doença, mas por outro lado elevam a pressão, aumentam o peso, entre tantos outros efeitos colaterais.

No centro do círculo, Rosankely dá as primeiras instruções para os demais integrantes, para que cada um pegue e passe ao colega o pincel atômico que está na caixa. "Vamos anotar, o quanto perdemos dessa vez. Porque vamos chegar a uma tonelada, não vamos?" brinca. No chão, uma faixa escrita "Projeto Saboneteiras", esperando o nome e o que todos têm a doar. "Vamos escrever, eu, Mart, doo 25 quilos e meio de... E vocês coloquem aqui o que são: amor, carinho, determinação, força, otimismo, coragem, alegria...", explica Rosankely.

Na verdade é isso e muito mais. Os 24 escrevem na faixa que, além dos quilos, doam também sentimentos: vida, esperança e história. História porque o Lado B se sente parte da trajetória deles. Em junho contamos a ideia de mobilizar as amigas e abrir uma página no Facebook "Projeto Saboneteiras RA" para emagrecer em quatro fases. De lá para cá, até tentamos seguir as meninas e um menino, no grupo de Whats, mas o diálogo era difícil de acompanhar e as mensagens se perdiam pelo caminho.

O grupo começou com Rosankely, Iara Dipp Castelão, de 34 anos e Martchely Wesner 32 anos. A última delas, conhecida como Mart, é daqui, mas se mudou para o Rio Grande do Sul. Há um ano resolveu transformar a vida, adaptar o paladar e perder peso. O caminho escolhido foi a reeducação alimentar. Em segredo, ela esperou perder 20 quilos para então compartilhar com as amigas. Hoje, um ano depois, já perdeu 25,5 quilos.

"Hoje somos 24 pessoas que estão em contato direto com a reeducação alimentar. Cada uma tem seu tempo. Somos conscientes de que obesidade é doença de interesse público e que existe toda uma cultura em volta da comida", comenta Rosankely.

Dentro dos quatro passos: decisão e comprometimento, organização, ponto de apoio e equilíbrio, ser feliz, elas resolveram abrir o projeto para amigos, amigos de amigos e quem mais tivesse interesse. "Chama saboneteiras, porque toda gordinha tem o sonho de que a saboneteira apareça. É o osso da clavícula que só aparece quando o IMC (Índice de Massa Corporal) está dentro do limite ideal", afirma Mart.

O grupo foi feito para que uma orientasse a outra. Os integrantes postam fotos do que comem no café da manhã, lanche e almoço, trocam receitas e também seguram a barra um do outro. Afinal, não é fácil para ninguém abrir mão de comer, quando a comida não saudável sempre foi o centro de tudo. "Mais gente olhando, você se sente mais vigiada, então não dá para recuar", completa Mart.

Depois que cada um descreveu o que doa junto dos alimentos, eles se preparam para fazer um percurso. Em trio, se levantam com a sacola de quilos, fazem a volta no círculo e se direcionam para o banner entre árvores onde está escrito "Projeto Saboneteiras RA". O caminho é mais do que o trajeto preparado numa gincana, é a lembrança de que um passo de cada vez surte efeito.

"No percurso, vamos lembrar cada dia da luta contra a obesidade. O resultado está na sua mão", anuncia Rosankely. Assim, de três em três, o grupo vê formando os 156 quilos perdidos e doados juntos. Toda dinâmica é acompanhada de palmas e por vezes, lágrimas. Não de sofrimento, mas de alegria de ver o quanto foi possível.

De desconhecidos para amigos íntimos, boa parte do grupo nunca havia se encontrado em canto nenhum da cidade. Virgínia Aparecida de Souza, de 47 anos, foi uma delas. Participante de outros métodos de emagrecimento desde janeiro foi quando entrou para o grupo que viu a perda de peso deslanchar. "Perdi 9 quilos e 100 gramas. É uma delícia, hoje eu vi pela primeira vez, mas parecia que conhecia desde sempre. A gente fala de tudo, compartilha tudo no grupo. Alegrias, tristeza e ansiedades", conta. 

No desabafo que Francielen Alves Ferreira, também saboneteira, reconhece o bem que o grupo tem feito a si. Aos 22 anos, ela diz o que é compartilhado por inúmeras pessoas. "Faço regime desde que me entendo por gente. Foi a vida toda. Mas aqui é bem gostoso, você sabe que tem alguém te apoiando". Nessa, ela já perdeu 4 quilos e 950 gramas em 40 dias. 

O único homem presente no grupo é Antônio Casacurta, de 24 anos. Estudante, ele entrou junto da família: sobrinhas, irmã, mãe, tia. "Toda família ficou super animada, a gente apoia um ao outro na hora de lanchar, beber água. Estamos na desintoxicação", narra. Em 11 dias no grupo, ele doou 5 quilos e 800 gramas. "Estou doando determinação e fé", dizia. 

Iara Dipp, tem na ponta da língua os quilos doados. Em 82 dias foram 15 quilos e 600 gramas. Ela é quem acompanha a parte culinária, por ser do meio, vive adaptando e compartilhando receitas práticas e que alimentam a criatividade das saboneteiras.

"Em grupo você se fortalece. Sempre tem alguém precisando de ajuda. Eu não imaginava que fosse tão intenso e a prova disso é que está todo mundo aqui", diz.

Sementinha plantada, a colheita virá aos poucos, mas será duradoura. Para emagrecer e viver bem, a melhor receita pode estar no grupo de amigos. E quem quiser fazer parte, a página no Facebook está aberta. Hoje e sempre.