Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 30 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Há 19 meses sem receber FGTS, metalúrgicos são demitidos em massa e sem receber rescisão

Robson conta que a empresa alegou ser necessária a demissão em massa para cortar gastos e recomeçar do zero

Midiamax

07 de Fevereiro de 2014 - 14:00

Trinta metalúrgicos da empresa Brascopper, em Três Lagoas, foram demitidos no início de janeiro por corte de gastos. Entretanto, os metalúrgicos estão há 19 meses sem receber o fundo de garantia. O contrato foi rescindido com todos os funcionários e nenhum recebeu a multa rescisória. Cansados, os metalúrgicos entrarão com ação judicial contra a empresa.

De acordo com Robson William Souza, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Campo Grande e Região, os demitidos farão ação judicial coletiva contra a empresa. “É um absurdo. Disseram estar passando por dificuldades. Tem metalúrgico que veio do Maranhão e não pode ir embora porque está esperando receber o FGTS, a multa de rescisão”, exemplifica.

Robson conta que a empresa alegou ser necessária a demissão em massa para cortar gastos e recomeçar do zero. “Querem recomeçar do zero então tem que pagar os funcionários antes, o que não é pouca coisa”, disse. O presidente do sindicato contou que há metalúrgico que estava na empresa há mais de seis anos.

A reportagem não conseguiu entrar em contato com a Brascopper. A matriz da empresa fabricante de condutores elétricos de cobre, alumínio, para energia e telefonia tem sede em Ribeirão Preto-SP. Além de Três Lagoas, há filial da empresa em São Luiz-MA.