Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 27 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Homem estupra, mata e enterra criança

O cadáver estava numa cova rasa, feita dentro de uma mata, às margens de um córrego, naquele município, próximo a BR 163

Imparcial News

15 de Dezembro de 2010 - 07:45

Homem, de 45 anos, acusado de pedofilia, confessou ter violentado sexualmente, matado e enterrado uma criança de 10 anos, no município de Mundo Novo. Depois de confessar o crime ele levou a polícia até o local onde o corpo havia sido enterrado. O cadáver estava numa cova rasa, feita dentro de uma mata, às margens de um córrego, naquele município, próximo a BR 163.

C.R.O, de 45 anos, que morava no mesmo quintal da vítima, confessou o crime. Ele passou a morar no local, depois que a avó da menina permitiu, em 2008, que ele construísse um barraco, no terreno. Segundo informações da polícia, no último domingo, C. teria chamado a criança para tomar banho no rio e almoçar numa fazenda próxima á cidade onde seu irmão toma conta.

 Ao chegar no rio, o monstro abusou sexualmente da criança. Depois de praticar o estupro ele a executou com duas facadas na barriga e a enterrou no meio da mata.

A polícia informou ainda que antes de morrer a vítima teria lutado com o agressor, conseguindo arranhá-lo em várias partes do corpo, principalmente nas costas.

Um jovem que se deslocava para Salto del Guairá, no domingo, disse à polícia que viu C. com uma bicicleta conduzindo a criança e entrando num pasto que dá acesso ao rio. Após ouvir o comentário do desaparecimento de uma menina, o mesmo se dirigiu até a delegacia e informou o que tinha visto, ao delegado Mathias, que imediatamente solicitou ao chefe de investigação Gildo Amaral que iniciasse as buscas, resultando na prisão de Celso.

Na delegacia o acusado acabou confessando os crimes de violência sexual, homicídio e ocultação de cadáver. Ele levou a equipe da Polícia Civil até o local onde estava enterrado o corpo, na noite de domingo (12), por volta das 20h. O local com espinhos, matos e pouca visibilidade dificultou o acesso da equipe até o ponto, indicado por Celso, onde estaria enterrado o corpo da criança.

Centenas de pessoas foram para frente da delegacia na tentativa de linchar o agressor. A polícia teve que intervir para dispersar os moradores revoltados, por conta do crime, com requinte de crueldade, que chocou a população. O assassino só foi levado para o interior da delegacia depois que a população foi embora.

O delegado Mathias não tem dúvidas de que o crime foi premeditado por C., já que ele afirmou, em depoimento, que havia levado uma faca embrulhada num pano, o que indica a intenção de cometer o assassinato.