Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 22 de Julho de 2024

Sidrolandia

Hotel em que Jennifer Lopez faria show pode processá-la em US$ 40 mil

Cantora faria show no Chipre mas o cancelou por razões políticas. Segundo donos do hotel, contrato não previa cancelamento do show.

G1

12 de Julho de 2010 - 09:45

Um hotel no Chipre, na Turquia, ameaçou processar a cantora e atriz Jennifer Lopez em US$ 40 milhões após ela cancelar um show que faria no local por "razões políticas", disse a imprensa local no último domingo (11).

O presidente da companhia turca que possui o hotel disse que Lopez tem tempo para mudar de ideia sobre o show, agendado para o dia 24 de julho.

"O contrato não foi encerrado. Se ela não aparecer para a apresentação, entraremos com pedido de retratação na Justiça e pediremos US$ 35 milhões a US$ 40 milhões pelo prejuízo", disse Murar Bozoglu. "O cancelamento não está mencionado em nenhuma cláusula do contrato que ela assinou conosco."

A cantora cancelou o show que faria para a inauguração do hotel. A apresentação tinha sido encarada pelos cipriotas do sul, de maioria grega, como uma forma de ajudar a legitimizar a divisão da ilha no Mediterrâneo.

Um comunicado no site da atriz e cantora na semana passada dizia que seus conselheiros haviam decidido contra a sua aparição.

“Jennifer Lopez jamais apoiaria com conhecimento de causa qualquer estado, país, instituição ou regime que seja associado a qualquer forma de abuso dos direitos humanos”, diz o texto: “Este é uma decisão da equipe, que reflete nossa sensibilidade para as realidades políticas da região”.

Divisão em 1974
O Chipre foi dividido em 1974, quando a Turquia invadiu a ilha, após um golpe dos partidários da união com a Grécia.

Os turcos cipriotas declaram independência em 1983, mas o estado só é reconhecido pela Turquia, que mantém 35 mil soldados no lugar.

O país se juntou a União Europeia em 2004, mas o norte permanece fora, sem voos diretos ou linhas de comércio com o mundo.