Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 19 de Maio de 2022

Sidrolandia

Idoso morre depois de passar cinco dias em UPA à espera de vaga

Em contato com a Prefeitura, através de e-mail foi informado que a Capital tem um deficit de leitos hospitalares

Midiamax

21 de Outubro de 2015 - 10:21

O sentimento é de revolta para a família do idoso Mário de Oliveira, de 82 anos, que morreu nesta segunda-feira (19), na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Almeida após passar cinco dias internado à espera de uma vaga em um hospital da cidade.

De acordo com a nora do idoso, que não quis se identificar, Mário foi internado com falta de ar, e o médico teria constatado que era uma pneumonia aliada a problemas urinários. “A todo momento os médicos não diziam a realidade do quadro de saúde dele, falando que o quadro era estável, mas na realidade era grave”, fala.

Segundo a nora, a família acionou o MP (Ministério Público) para tentar uma vaga em um hospital no dia 17 de outubro, mas quando conseguiram o idoso já tinha falecido. “Foi negligência por que no sábado (17), outra pessoa morreu ao lado do meu sogro e não fizeram nada”, diz.

“Isto já virou rotina nos postos de saúde, é falta de comprometimento com o paciente. No sábado tinham duas vagas para hospital e não fizeram a transferência do meu sogro”, explica. Ainda segundo informações os médicos omitiram sobre o estado de saúde do idoso.

“Vamos entrar com uma ação contra o município e o estado por negligência por que não pode mais acontecer este tipo de coisa”, afirma. “Ficamos olhando pela janela os médicos tentando reanimar meu sogro aos risos falando que ele não tinha mais jeito”, diz indignada.

Em contato com a Prefeitura, através de e-mail foi informado que a Capital tem um deficit de leitos hospitalares, e que nestes casos os pacientes recebem todo o atendimento até a abertura de vagas.