Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 16 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Ilsinho deixa o PDT e se filia ao PSB em fevereiro

Ilsinho, como é conhecido, deve assumir a Executiva Municipal do partido que hoje é controlada por Paulo Juruna, motorista do prefeito Daltro Fiúza

Marcos Tomé/Região News

10 de Janeiro de 2011 - 16:22

Ilsinho deixa o PDT e se filia ao PSB em fevereiro
Ilsinho deixa o PDT e se filia ao PSB em fevereiro - Foto: Marcos Tom

O prefeito em exercício de Sidrolândia, o vice-prefeito Ilson Barbosa Junior, vai deixar o PDT e se filiar ao PSB num ato programado para fevereiro na presença da cúpula estadual do Partido Socialista Brasileiro, que é comandado em Mato Grosso do Sul pelo ex-deputado Sérgio Assis. Ilsinho, como é conhecido, deve assumir a Executiva Municipal do partido que hoje é controlada por Paulo Juruna, motorista do prefeito Daltro Fiúza.

No ato, inicialmente programado para o dia 23 de fevereiro, a previsão é que se filiem a legenda 200 pessoas, criando as bases para o lançamento de candidatos a vereador nas eleições de 2012 e para uma eventual aliança na disputa pela prefeitura.

O vice-prefeito está numa situação desconfortável no PDT , partido no qual hoje tem pouca influência. Sua posição se fragilizou desde que o deputado Ary Rigo e o ex-vereador Ademir Osiro deixaram o PDT. Eles saíram da legenda porque o partido em nível regional rompeu com o governador André Puccinelli optando por apoiar a candidatura (derrotada) ao Governo do Estado do ex-governador Zeca do PT.

Na última eleição, em outubro, Barbosa Junior apoiou as candidaturas de Rigo, filiado ao PSDB a deputado estadual e a de Osiro, que disputou vaga na Câmara Federal pelo DEM. Os dois vereadores pedetistas na Câmara se distanciaram de Ilsinho tanto que Antonio Galdino e Waldemar Acosta (em cuja eleição esteve engajado) se rebelaram contra a candidata apoiada pelo prefeito, vereadora Roberta e ajudaram a eleger o petista Jean Nazareth presidente da Câmara. O vice-prefeito, que é da Executiva Municipal do PDT diz que só ficou sabendo da articulação depois do desfecho do processo eleitoral no Legislativo.

Hoje o PDT é controlado pelo advogado Gerson Claro, que disputou uma vaga na Assembléia. Ilsinho, que acalentou o projeto de vir a ser candidato a prefeito em 2012 do grupo mais próximo ao prefeito Daltro Fiúza, resolveu trocar de legenda para garantir espaço político num partido onde seja o nome de maior expressão política na cidade.

O PSB se somaria ao PMDB, DEM e outras legendas nanicas num arco de aliança para viabilizar um candidato capaz de enfrentar nas urnas o ex-prefeito Enelvo Felini, do PSDB. PDT e PT, que ajudaram na eleição do atual prefeito estão distanciados de Daltro, que em retaliação a derrota da sua candidata a presidente da Câmara, demitiu mais de 40 funcionários comissionados (incluindo cinco secretários) indicados pelos dois partidos.