Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 5 de Maio de 2021

Sidrolandia

Impasse na negociação salarial atrasa início do horário especial de final do ano no comércio

Ano passado, nesta mesma época (entre 7 e 12 dezembro), as lojas estavam liberadas para funcionar até às 21 horas.

Flávio Paes/Região News

08 de Dezembro de 2016 - 14:41

O impasse na negociação salarial entre empregados e patrões do segmento comercial de Sidrolândia travou até agora a renovação da convenção coletiva. Sem acordo, o comércio da cidade não pode funcionar além das 18 horas como já é tradição em dezembro, quando o pagamento do 13º aquece as vendas com as compras de Natal. Ano passado, nesta mesma época (entre 7 e 12 dezembro), as lojas estavam liberadas para funcionar até às 21 horas.

O acordo ainda não foi fechado porque os empresários ofereceram um reajuste salarial de 8% (um pouco acima da inflação oficial dos últimos 12 meses, que foi de 7,87%), enquanto o Sindicato dos Trabalhadores no Comércio, reivindica 11%, que elevaria o piso de R$ 935,00 para R$ 1.037,85. A proposta patronal garante piso de R$ 1.009,80. Há outros dois pontos de divergência: os comerciantes querem retirar o feriado de Tiradentes (21 de Abril), da relação das datas comemorativas em que o comércio fica fechado. Pela convenção coletiva vencida no último dia 30 de novembro, além do Dia de Tiradentes, é proibida a abertura do comércio no Natal (25 de Dezembro); Dia do Trabalho (1º de Maio) e 1º de janeiro.

Os comerciantes também não querem que no dia 2 de janeiro as lojas só possam abrir a partir do meio-dia. Eles defendem que nestes dois casos, os empresários tenham a liberdade de abrir ou não seus estabelecimentos.  

De acordo com o presidente da Associação Empresarial, Mario Arruda, há expectativa de que até segunda-feira haja uma nova rodada de negociação com o retorno da Guatemala do presidente da Federação dos Trabalhadores no Comércio, que junto com o Sindicato negocia em nome da categoria. Ele antevê dificuldade para que o reajuste negociado possa ser pago sobre o vencimento de novembro. “As empresas já pagaram o salário do mês passado e recolheram os encargos incidentes”, explica. Se o acordo não for fechado logo, é possível que o reajuste só seja aplicado sobre o vencimento de dezembro, pago até o 5º útil de janeiro.

Na semana passada as duas federações do comércio (patronal e dos trabalhadores) assinaram acordo coletivo com sindicatos que representam os comerciários de 46 municípios, incluindo Campo Grande. Na Capital o piso salarial foi fixado em R$ 1.210,00, enquanto no interior, ficou em R$ 1.090,00, com o reajuste de 8,5%, que está sendo reivindicado pelos trabalhadores de Sidrolândia. O comércio da cidade começou o ano com 1.460 empregados nos 512 estabelecimentos existentes. De janeiro a outubro foram fechados 70 empregos, em parte recuperados com 43 novas vagas a partir da abertura ou ampliação de seis lojas.