Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 8 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Índios afirmam que proprietário não se esforça para retirar gado da Fazenda Esperança

Desde que a fazenda foi ocupada pelos índios em 30 de maio deste ano, esta foi a primeira vez que os fazendeiros e os indígenas tentaram chegar a um acordo.

Midiamax

17 de Julho de 2013 - 08:55

Os índios terenas que ocupam a Fazenda Esperança, desde 30 de maio deste ano, afirmam que o proprietário da área Nílton Carvalho da Silva Filho não está se esforçando para retirar os animais da propriedade, conforme acordo firmado na última quinta-feira (11). Terenas e fazendeiros concordaram que em 15 dias, a partir daquela data, os donos das fazendas iriam retirar o gado e os pertences, já que os índios avisaram que não vão deixar o local.

Entretanto, até a data de hoje, conforme lideranças indígenas, nada foi feito para que os animais sejam retirados da Aldeia Esperança, nome que eles batizaram a região que abrange as Fazendas Esperança I, II, III e IV, todas de propriedade da família Carvalho e a Fazenda Fazendinha, de propriedade de Míriam Alves Correa.

Segundo as lideranças, apenas Míriam está cumprido o acordo. “Ele veio aqui retirou equipamentos, alguns pertences dele, mas nada de retirar o gado. Se ele não tirar até acabar o prazo não vamos deixar que faça isso depois”, dizem as lideranças.

O conflito

A Fazenda Esperança está dentro da área que os terenas exigem a demarcação. Eles requerem a ampliação da reserva Taunay-Ipegue de 6,8 mil para 33,9 mil hectares em Aquidauana – cidade a 143 quilômetros de Campo Grande.

Desde que a fazenda foi ocupada pelos índios em 30 de maio deste ano, esta foi a primeira vez que os fazendeiros e os indígenas tentaram chegar a um acordo. A Justiça Federal chegou a decretar a reintegração de posse da fazenda, sob pena de ação policial se não fosse cumprida. Entretanto, os indígenas não saíram no prazo estipulado e o pedido de reintegração foi revogado.

O advogado do dono da fazenda, Niutom Ribeiro Chaves Jr. reclama ao Jornal Midiamax que quando a Justiça impõe algo a seus clientes ele é obrigado a cumprir, como determina a lei. Mas, no momento em que a decisão era favorável a ele nada foi feito até que outra medida a cancelasse.

Sobre a queixa dos terenas de que seu cliente não está se esforçando para retirar o gado da propriedade, ele nega. E diz que ninguém mais do que Nilton Carvalho da Silva Filho tem interesse em retirar os animais da propriedade. “O interesse maior é dele, de retirar no menor prazo possível. Quanto mais rápido isso acontecer menos prejuízo ele terá, que já está tendo há dias”, critica.

Ele explica que a retirada não é um processo fácil e que todos os esforços estão sendo feitos para que isso resolva.