Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 21 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Índios terena invadem fazenda em Miranda

Os índios se esconderam num mato, nenhuma liderança veio dialogar nem comigo nem com a polícia”, disse João.

Midiamax

04 de Abril de 2011 - 14:00

Ao menos 40 índios terena ocuparam há cerca de duas horas a entrada de uma área de 620 hectares, a 8 km da região central da cidade de Miranda, já na planície pantaneira.

O comerciante José do Amaral Goes, um dos donos da fazenda, conhecida como Estância Amaral, disse que o irmão dele João, seu sócio, foi ao local com uma guarnição da Polícia Militar local, mas não convenceu os terena a saírem de lá.

“Eles [índios] querem pegar a gente como refém. Fui lá e fiquei de longe. Os índios se esconderam num mato, nenhuma liderança veio dialogar nem comigo nem com a polícia”, disse João.

Os irmãos disseram ter comprado a Estância no ano passado com a ideia de criarem gado. Eles tocam um supermercado na cidade e alguns de seus clientes são índios.

Hoje, ao menos cinco empregados trabalhavam na área, mas logo saíram com a presença dos índios. José do Amaral afirmou que o hectare da fazenda custa em torno de R$ 3 mil. Isso quer dizer que eles pagaram perto de R$ 2 milhões pela imóvel.

“Os índios estão armados, isso é perigoso”, disse João, por telefone. Ele ia conversar com o advogado para preparar a ação de reintegração de posse.

Os irmãos Amaral disseram que a fazenda já havia sido ocupada pelos índios no ano passado, antes de comprarem o imóvel.

José Amaral disse que os índios alegam que 36 mil hectares na região são deles. “Hoje os índios vivem numa área de cinco mil hectares, ocupam apenas uma. O resto é mato. E eles têm tratores e carros”, afirmou José Amaral.

Até agora, nenhuma liderança indígena se manifestou sobre a ocupação da fazenda.